Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 26º

Edição

Vitória do SPD é "oportunidade" de Espanha e Alemanha estarem mais unidos

O primeiro-ministro espanhol insistiu hoje que a vitória dos sociais-democratas nas eleições alemãs de domingo, abre a oportunidade de os dois países estarem "unidos na cor e orientação dos dois governos" para uma recuperação económica verde e justa.

Vitória do SPD é "oportunidade" de Espanha e Alemanha estarem mais unidos

"A Espanha e a Alemanha já estavam muito unidas", disse Pedro Sánchez (socialista), numa conferência em que participou em Santander (norte de Espanha), depois de considerar que o Governo espanhol coincide com as políticas social-democratas alemãs.

Sánchez, que reiterou durante o seu discurso a necessidade de uma política "pura" útil, que "tece alianças" e tem por base a colaboração, defendeu a continuação do progresso no processo de integração europeia.

"Separadamente somos muito pequenos num mundo de gigantes, e juntos poderemos condicionar o futuro do mundo nos próximos anos", afirmou.

"Felicito o candidato social-democrata alemão. Ontem [domingo] triunfou o que sempre foi reclamado por um grande pensador progressista, Fernández de los Ríos, da Segunda República [espanhola], que reivindicava o respeito, entendendo ele como sendo a dignidade das pessoas", disse o chefe do executivo.

O chefe do Governo espanhol apelou ao "poder transformador do diálogo para construir horizontes comuns e para o progresso dos cidadãos e dos compatriotas".

"Cultivar a unidade e banir a tensão", disse, referindo-se à oposição política espanhola de direita, à qual pediu para "trabalhar em conjunto, lado a lado".

A este respeito, deu como exemplo a colaboração do seu Governo com governos de diferentes cores na ilha de La Palma (Canárias), onde desde há uma semana está ativo um vulcão, para alcançar o mesmo objetivo, que é "oferecer um futuro de prosperidade e esperança a todo o povo".

O Partido Social-Democrata (SPD) venceu as eleições parlamentares alemãs, que marcaram o fim da era de Angela Merkel, com 25,7% dos votos, de acordo com uma contagem oficial provisória anunciada hoje pela Comissão Eleitoral Federal.

A aliança conservadora CDU/CSU, liderada por Armin Laschet, obteve 24,1% dos votos, o pior resultado da sua história.

Já os Verdes ficaram em terceiro lugar com 14,8%, seguidos pelo partido liberal FDP com 11,5%.

Esta disputa eleitoral será conquistada por quem conseguir construir uma coligação maioritária entre pelo menos três formações partidárias, após negociações que terão início hoje.

Leia Também: Pedro Sánchez parabeniza Scholz e SPD por "grandes resultados"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório