Meteorologia

  • 17 SETEMBRO 2021
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

EUA. Requerentes de asilo vão poder aguardar novamente por decisão

Milhares de requerentes de asilo, que viram os pedidos negados durante a administração de Donald Trump e que foram forçados a aguardar no México, vão ter uma nova oportunidade de entrar nos EUA enquanto esperam uma decisão.

EUA. Requerentes de asilo vão poder aguardar novamente por decisão
Notícias ao Minuto

06:19 - 23/06/21 por Lusa

Mundo EUA

O registo irá começar a ser feito na quarta-feira para requerentes de asilo que estavam sujeitos à política 'permanecer no México' e que viram os seus casos serem arquivados ou negados por não comparecerem em tribunal, noticia a agência AP, citando fonte do Departamento de Segurança Interna.

Não está ainda claro quantas pessoas estão elegíveis para serem aceites pelos Estados Unidos, enquanto aguardam uma decisão sobre os seus casos, segundo explicou um fonte oficial do Departamento de Segurança Interna, que falou sob anonimato porque a medida ainda não foi tornada pública.

Segundo revelou à AP a diretora da Organização Internacional para as Migrações na América do Norte, América Central e Caraíbas, Michele Klein Solomon, o número deve rondar as 10 mil pessoas.

Esta organização está a trabalhar em estreita colaboração com a administração norte-americana para trazer pessoas para a fronteira e realizar testes à covid-19 antes de ser dada permissão para a entrada.

No entanto as estimativas parecem baixas. Existem quase sete mil requerentes de asilo cujos casos foram arquivados, a grande maioria em San Diego, e mais de 32 mil cujos casos foram negados, principalmente no Texas.

Não se sabe quantos processos foram negados por falta de comparecimento em tribunal.

Acredita-se que muitas pessoas tenham deixado a fronteira do México ao pensarem que os seus casos foram encerrados, o que pode resultar em riscos de grandes fluxos de pessoas a tentarem regressar aos Estados Unidos.

A mesma fonte da Segurança Interna assegurou que o Governo está ciente dos perigos e considera deixar entrar as pessoas nos Estados Unidos, da mesma forma que está a reunir famílias separadas durante anos devido à política de 'tolerância zero' do antigo presidente Donald Trump sobre imigração ilegal.

Após tomar posse, e no seu primeiro dia enquanto presidente, Joe Biden permitiu que cerca de 26 mil requerentes de asilo cujos casos estavam ativos pudessem regressar aos Estados Unidos, enquanto os processos decorriam.

Estes processos podem demorar anos, devido à acumulação de 1,3 milhões de casos no sistema judicial norte-americano.

Mais de 12.300 pessoas com casos ativos foram admitidas nos EUA desde fevereiro, enquanto outros que se registaram, mas ainda não entraram no país, e que serão cerca de 17 mil.

No entanto, esta política deixou de fora dezenas de milhares de requerentes de asilo cujas reivindicações foram negadas na governação Trump. 

Apesar da pressão durante meses para que estas pessoas tenham outra oportunidade, o Governo tinha ficado em silêncio até agora, deixando-as num 'limbo jurídico'.

Leia Também: EUA culpam os Talibãs pela atual violência no Afeganistão e apelam à paz

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório