Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2021
Tempo
16º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

AO MINUTO: Analistas mantêm favoritismo de Biden; Os 5 estados decisivos

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre as eleições nos Estados Unidos.

AO MINUTO: Analistas mantêm favoritismo de Biden; Os 5 estados decisivos

Os eleitores norte-americanos têm votado por correio nas últimas semanas e deslocaram-se em força às urnas esta terça-feira para decidirem se mantêm Donald Trump mais quatro anos na Casa Branca ou se apostam novamente num presidente democrata elegendo Joe Biden

As escolhas não se limitam à presidência norte-americana, em jogo também vão estar lugares nas duas câmaras que compõem o Congresso dos Estados Unidos, a Câmara dos Representantes (nas mãos do Partido Democrata) e o Senado (atualmente republicano). Também há 11 corridas para o cargo de governador.  

Em última análise, a eleição desta noite é um escrutínio ao futuro de um país cada vez mais dividido. Não apenas entre Trump e Biden, mas principalmente entre temas quentes na sociedade norte-americana: o racismo, uma justiça mais equitativa, os protestos, a violência, as alterações climáticas, o rumo da economia e, claro, o coronavírus. 

A pandemia tornou-se o 'joker' destas eleições e o resultado desta noite estará indelevelmente ligado a um vírus que tem sido particularmente nefasto nos Estados Unidos. 

A disputa pela Casa Branca não será decidida por quem conseguir um maior número de votos  mas sim pelos votos do colégio eleitoral. Trump e Biden precisam de 270 votos ou mais para ganharem estas eleições. 

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre as eleições nos Estados Unidos:

15h57 - "Não vamos descansar até que o voto de cada um seja contado", partilhou o candidato democrata à Casa Branca, no Twitter.

15h52 - Joe Biden deverá falar ao povo americano durante o dia de hoje, confirmou a sua gerente de campanha, Jennifer O'Malley Dillon, ao New York Times.

15h42 - São várias as publicações nas redes sociais que levantam questões sobre a contagem dos mais recentes votos que colocam Joe Biden em vantagem. O verificador de fatos da CNN, Daniel Dale, rapidamente desmentiu a informação, após Donald Trump lançar dúvidas sobre a fiabilidade da contagem de votos pelo correio.

15h37 - Com os votos ainda a serem contados em cinco estados chave, a campanha de Donald Trump disse aos jornalistas que o presidente norte-americano se encontra em "muito, muito, muito boa posição" para vencer a eleições, reporta a CNN.

15h33 - Wall Street segue em alta à espera de resultado das presidenciais. A bolsa de Nova Iorque iniciou hoje a sessão em alta, numa altura em que permanece a incerteza sobre o vencedor das presidenciais norte-americanas, mas afasta-se a possibilidade de uma vitória ampla dos democratas no Congresso.

15h26 - Nevada - 6 "grandes eleitores" no Colégio Eleitoral. É outro dos estados considerados como uma peça-chave para o resultado final, embora nenhum candidato presidencial republicano vença nesta região desde 2004.

Com 86% dos votos escrutinados, Biden lidera a contagem com 49,3% dos votos, à frente de Trump que contabiliza 48,7%.

15h25 - Georgia - 16 "grandes eleitores" no Colégio Eleitoral. Tradicionalmente um estado republicano, onde um candidato presidencial democrata não vence desde 1992, a Georgia surge nestas eleições como um cenário fortemente disputado, situação relacionada com um possível aumento da participação de eleitores afro-americanos a favor de Joe Biden.

15h24 - Pensilvânia - 20 "grandes eleitores" no Colégio Eleitoral. Neste estado classificado como "vital", e com 75% dos votos escrutinados, Trump está na frente com uma vantagem de pouco mais de 600.000 votos. Mas, mais de um milhão de votos por correspondência ainda precisam de ser somados à contagem final.

Zonas tradicionalmente ligadas ao Partido Democrata, como Filadélfia e Pittsburgh, ainda têm várias centenas de milhares de votos por processar, o que está a dar esperanças à campanha de Joe Biden.

15h22 - Michigan - 16 "grandes eleitores" no Colégio Eleitoral. Com cerca de 90% dos votos escrutinados, os dois candidatos surgem praticamente empatados, mas é Biden quem lidera: Biden com 49,3% e Trump com 49,1%

A secretária de Estado do Michigan, Jocelyn Benson, responsável pela contagem eleitoral, garantiu que espera ter uma imagem "muito clara" dos resultados "nas próximas 24 horas", como tal pediu "paciência".

15h21 - Wisconsin - 10 "grandes eleitores" no Colégio Eleitoral. Em Wisconsin, com cerca de 95% dos votos escrutinados, Joe Biden está na liderança com uma margem de cerca de 20.000 votos, numa altura em que milhares de votos por correspondência continuam a ser processados por máquinas que automatizam o processo.

15h14 - Os cinco estados que ainda contam votos e que podem decidir o resultado. O resultado final das eleições presidenciais norte-americanas está dependente de cinco estados, que já alertaram que precisam de mais horas, e até de dias, para contar os votos por correspondência que chegaram em números históricos devido à crise pandémica.

Wisconsin, Michigan, Pensilvânia, Georgia e Nevada são os cinco estados norte-americanos (entre um total de 50) que concentram agora todas as atenções, um dia depois das eleições presidenciais. Devido ao seu peso no Colégio Eleitoral, estes cinco estados podem decidir quem será o vencedor das 59.º eleições norte-americanas: o atual Presidente e candidato republicano, Donald Trump, ou o candidato do Partido Democrata, Joe Biden.

15h03 - Resultados em atualização:

Biden: 227 votos

Trump: 213

São necessários 270 votos para vencer a eleição presidencial.

14h54 - O republicano Kevin McCarthy, líder da bancada na Câmara dos Representantes, deixou um aviso à presidente da Câmara dos Representantes. "Em distritos de todo o país, os Americanos rejeitaram o socialismo e votaram pela liberdade. Nancy Pelosi: Foste avisada", escreveu.

14h43 - Joe Biden está pela primeira vez em vantagem no estado de Michigan, reunindo 49,3% dos votos contados até ao momento. Trump reúne 49,1%. 

14h21 - Alexandria Ocasio-Cortez considerou as reivindicações prematuras de vitória de Donald Trump "ilegítimas, perigosas e autoritárias". "Conte os votos. Respeite os resultados", escreveu no Twitter.

14h12 - As quatro congressistas democratas, conhecidas como 'The Squad', esmagaram os seus oponentes republicanos e mantiveram os seus lugares.Alexandria Ocasio-Cortez (Nova Iorque), Ilhan Omar (Minnesota) Rashida Tlaib (Michigan) e Ayanna Pressley (Massachusetts) vão continuar no Congresso.

14h02 - Madison Cawthron, de 25 anos, será o membro mais jovem do Congresso da história moderna, de acordo com os registos da Casa Branca, projeta a CNN. O meio de comunicação norte-americano projeta que o republicano irá vencer o democrata Moe Davis.

13h55 - Depois de na terça-feira ter desejado boa sorte aos candidatos norte-americanos, a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, voltou a publicar a mensagem admitindo que parece "ainda mais apropriada esta manhã". "Temos horas e dias cruciais pela frente para a integridade da democracia dos EUA. Esperamos começar a ouvir as vozes dos republicanos que entendem a importância disso", escreveu.

13h46 - Democratas devem manter Câmara dos Representantes mas com maioria escassa. As sondagens que, nas últimas semanas, davam aos democratas o controlo total do Congresso, mantendo a Câmara dos Representantes e reconquistando o Senado, parecem ter errado tanto como alguns que estimavam um golpe sem misericórdia no candidato democrata.

12h50 - Apesar de os resultados das eleições presidenciais dos EUA ainda parecerem muito incertos, analistas consultados pela agência Lusa continuam a dar o favoritismo a Biden que as sondagens anteciparam.

"Se a meio da noite, a vitória de Trump parecia um 'déjà-vu' de 2016, a verdade é que à medida que vão sendo contados os votos nos estados do Midwest, sobretudo no Wisconsin e Michigan, os democratas ficaram com melhores perspetivas de vitória", explica Nuno Gouveia, especialista em política norte-americana.

Idêntica perspetiva tem Jennifer Logan, professora de Ciência Política na Universidade de George Washington, que recorda que em alguns estados decisivos, particularmente na Pensilvânia, ainda falta contar os boletins enviados por correio, que serão predominantemente de eleitores democratas, segundo os estudos. "Mas não sabemos a dimensão desses votos. Essa é a incógnita determinante. Contudo, se entrarmos no jogo de probabilidades, as apostas estão do lado de Biden", disse Logan, sem excluir a hipótese de esses votos que faltam poderem agora ser contestados em longos litígios nos tribunais.

12h31 - Ponto da situação:

11h31 - Reação da Eslovénia: O primeiro-ministro esloveno, Janez Jansa, felicitou hoje o Presidente dos EUA pela sua "reeleição", depois de Donald Trump se ter declarado vencedor das presidenciais antes do final da contagem dos votos.

11h01 - Os norte-americanos estão hoje a acordar sem conhecer um vencedor nas eleições presidenciais, quando estados considerados cruciais para um desfecho ainda não terminaram a contagem de votos.

10h49 - Os meios de comunicação social norte-americanas repreenderam hoje o Presidente e candidato republicano, Donald Trump, por ter dito na televisão que já tinha sido reeleito, apesar de os votos ainda estarem a ser contados.

10h15 - Reações: Comentadores e meios de comunicação social consideram que Trump se antecipou ao declarar vitória antes de os votos terem sido todos contados. "Esta é uma situação extremamente inflamável e o Presidente acabou de lhe atirar um fósforo para cima".

10h14 - A organização de jornalismo político POLITICO partilha também um ponto da situação pelas 05h00 nos EUA (10h em Lisboa). 

09h55 - Ponto da situação: O New York Times mostra, esta quarta-feira, a evolução da votação nos diferentes estados norte-americanos: 

Notícias ao MinutoEvolução da votação nos EUA© Reprodução | New York Times

09h46 - Reação de congressista democrata: A congressista democrata Alexandria Ocasio-Cortez afirmou hoje que a vitória proclamada pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, antes de terminar a contagem dos votos nas eleições presidenciais de terça-feira é "perigosa e autoritária".

09h41 - Reação da Alemanha: A Alemanha está preocupada com a "situação muito explosiva" nos Estados Unidos, onde Donald Trump se declarou vencedor das eleições presidenciais antes mesmo do final da contagem dos votos, disse hoje a ministra da Defesa.

09h37 - Tribunais? Biden promete lutar: A candidatura democrata à Casa Branca disse hoje que vai contrariar quaisquer esforços do rival republicano, Donald Trump, de recorrer ao Supremo Tribunal para evitar mais contagem de votos.

09h33 - O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, afirmou hoje que, enquanto se aguarda o resultado das eleições presidenciais norte-americanas, o bloco comunitário está disponível "para continuar a construir uma forte parceria transatlântica", independentemente do vencedor.

09h24 - Reação do Reino Unido: O ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Dominic Raab, afirmou hoje que as relações entre o Reino Unido e os Estados Unidos estão "em ótima forma" e sairão fortalecidas seja qual for o vencedor nas eleições norte-americanas.

09h06 - Ponto de situação: O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, está à frente do Presidente norte-americano, Donald Trump, com 236 delegados contra 213 no Colégio Eleitoral, segundo projeções dos principais 'media' norte-americanos.

09h00 - Representantes de comunidades negra e LGBT fazem história: A democrata Cori Bush vai tornar-se a primeira ativista do movimento 'Black Lives Mater' a chegar ao Congresso federal, após um ano marcado por protestos liderados pelo grupo contra o racismo e a brutalidade policial.

08h59 - Depois de os americanos terem sido chamados às urnas para eleger o próximo presidente norte-americano, a ansiedade mantém-se. Apesar de Trump ter declarado vitória e de Biden se dizer "encaminhado para ganhar", certo é que está tudo 'em cima da mesa'.

Notícias ao MinutoEleições nos EUA© Getty Images

08h48 - Maine e Nebraska: O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, ganhou no Maine e o candidato republicano, Donald Trump, venceu no Nebraska, dividindo entre si os votos de cada um destes dois estados, segundo as contas da Associated Press.

08h13 - O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, venceu no Arizona, obtendo os seus 11 votos do colégio eleitoral e virando um estado importante para as aspirações de reeleição de Donald Trump, segundo as contas da Associated Press.

7h39 - Este é o ponto da situação nesta altura: as projeções da CNN e do The New York Times colocam Joe Biden à frente na corrida pelos votos do colégio eleitoral. A CNN dá uma vantagem de 220-213 favorável ao candidato democrata e o Times dá uma liderança de 225-213. 

Porém, as previsões destes meios estimam que Trump pode ganhar vários estados (Geórgia, Carolina do Norte, Wisconsin, Michigan e Pensilvânia), invertendo as atuais projeções. A disputa pela Casa Branca está demasiado próxima para ser declarado um vencedor. Com a contagem dos votos nas urnas a decorrer e a contagem dos votos por correio, que poderá levar dias ou até semanas a ser concluída, a ser processada, o impasse relativamente ao vencedor destas eleições deve manter-se. 

7h20 - O presidente surgiu agora para falar. "Um grupo de pessoas muito triste está a tentar marginalizar os milhões e milhões de pessoas que votaram em nós", afirma Trump. Embora, as projeções na Geórgia e na Carolina do Norte mostrem que Biden está mais próximo, Trump diz que vai ganhar nestes estados. "Não vão apanhar-nos", frisou. 

"Tivemos uma grande noite", disse Trump, antes de declarar vitória. O candidato republicano já fala numa "grande fraude". O presidente anunciou a intenção de ir para o Supremo Tribunal para travar a contagem dos votos, algo que já se temia que pudesse fazer

7h19 - Há muito que se espera que Donald Trump compareça na Sala Este da Casa Branca para falar, o que pode acontecer nos próximos minutos.

6h55 - O voto do colégio eleitoral que Biden vai ganhar no Nebraska pode revelar-se decisivo no desfecho destas eleições. Por agora, este foi o único voto do colégio eleitoral que Biden conseguiu alterar face aos resultados das eleições de 2016. Espera-se que o democrata também vire a preferência no Arizona para o 'azul'. 

6h41 - O estado do Montana vai cair para o lado de Trump, de acordo com as projeções dos meios norte-americanos. Por outro lado, Biden passou para a frente no Nevada e está a recuperar terreno na Geórgia, um dos estados-chave. 

6h37 - Trump deverá fazer uma declaração brevemente. 

6h32 - A rede social Twitter alertou hoje os utilizadores sobre o conteúdo potencialmente enganoso de uma mensagem do presidente dos EUA e recandidato republicano à Casa Branca, na qual acusou os democratas de tentarem "roubar a eleição" presidencial.

6h30 - Depois de fazer breves declarações, Joe Biden regressou a casa e a sua campanha indicou que o candidato democrata não deverá fazer mais aparições públicas esta noite, informa o The New York Times. 

6h21 - As projeções dão a vitória a Trump no Texas, um estado que se mantém 'vermelho'. Com os 38 votos do colégio eleitoral no Texas, a corrida entre Biden e Trump fica mais renhida. 

6h15 - O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, está à frente do presidente norte-americano, com 223 contra 175 delegados no colégio eleitoral, segundo projeções da imprensa dos EUA.

5h57 - Donald Trump não demorou a reagir à declaração de Joe Biden. Como é habitual, fê-lo através do Twitter. "Estamos com GRANDE vantagem, mas eles estão a tentar ROUBAR as eleições. Não vamos deixá-los fazer isso. Não podem ser submetidos votos depois das urnas encerrarem!", atirou o presidente norte-americano. 

5h45 - Na sua declaração, Joe Biden mostrou-se confiante numa vitória na corrida à Casa Branca. "Acreditamos que estamos a caminho de uma vitória nestas eleições", disse o candidato democrata. Biden mostrou-se optimista em triunfos nos estados do Michigan, Wisconsin e da Pensilvânia. Estados em que as sondagens dão vantagem a Donald Trump.

No entanto, nos estados do Wisconsin e da Pensilvânia a contagem dos votos por correio pode virar a atual tendência.  

5h43 - As previsões apontam para a vitória de Trump no estado da Flórida, que vale 29 votos do colégio eleitoral

5h38 - Os manifestantes de grupos antifascistas que enfrentaram hoje a polícia na 'Praça Black Life Matter' regressaram ao perímetro da Casa Branca

5h27 - Os republicanos recuperaram a sua vantagem no Senado norte-americano, depois de o candidato Tommy Tuberville ter destronado, no Alabama, o senador democrata Doug Jones, que era considerado o eleito mais ameaçado na câmara alta do Congresso norte-americano. 

5h18 - A CNN está a adiantar que Joe Biden vai fazer uma declaração brevemente. Tendo em conta que ainda é cedo para dizer quem vai ganhar as eleições, é grande a expectativa relativamente ao conteúdo das declarações de Biden

5h08 - A contagem dos votos em vários locais do estado do Wisconsin está a demorar mais do que o previsto porque algumas das máquinas não estão a contabilizar os votos tão rapidamente como deveria acontecer, refere o The New York Times. 

5h03 - A CNN avança que Donald Trump ganhou a batalha no estado-chave do Ohio, conseguindo 18 votos do colégio eleitoral. Joe Biden reclamou vitória no estado da Virgínia (13 votos do colégio eleitoral), que ao longo da noite foi sofrendo sucessivas alterações nas projeções. 

4h58 - Sarah McBride, uma democrata, assegurou um lugar no senado estadual do Delaware, tornando-se na primeira senadora estadual transgénero na história dos Estados Unidos. 

4h52 - O cenário de declaração de vitória antecipada é discutido há várias semanas, num cenário de resultados muito próximos entre os candidatos democrata e republicano. A ideia é - na iminência de um resultado potencialmente negativo - criar o caos suficiente para arrastar a decisão final para os tribunais.

4h41 - O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, está à frente do presidente norte-americano, com 209 contra 119 delegados no colégio eleitoral, segundo projeções da imprensa dos EUA.

4h24 - O Partido Democrata vai conquistar o número suficiente de mandatos para manter o controlo da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos nos próximos dois anos, indicaram projeções das televisões NBC News e Fox News. Os democratas poderão mesmo reforçar a maioria com quatro ou cinco lugares adicionais.

4h16 - O The New York Times avança que várias cidades de estados-chave estão a registar atrasos na contagem dos votos por correspondência. Um dos exemplos desse atraso é Filadélfia, um bastião democrata na Pensilvânia, onde apenas foram contabilizados 76 mil de 350 mil votos por correio até às 21 horas locais (2 horas em Portugal Continental).  

4h09 - As estimativas iniciais indicam que Joe Biden vai vencer na Califórnia, o estado com maior número de votos do colégio eleitoral - 55. Biden também leva vantagem nos estados de Washington e do Oregon.

4h01 - O candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, lidera a votação do colégio eleitoral, com 131 delegados, contra 99 do Presidente, Donald Trump, segundo projeções da imprensa norte-americana.

3h46 - A detenção de um afro-americano provocou o protesto de grupos de manifestantes antifascistas que integravam a concentração junto aos jardins da Casa Branca, em Washington. Não se registaram confrontos mas os agentes foram insultados e empurrados para uma esquina de um edifício tendo mais tarde conseguido fazer o transporte do detido para fora do local da concentração.

3h38 - Os eleitores norte-americanos esperam um desfecho rápido destas eleições para que o país  não fique "suspenso durante semanas ou meses". Também esperam que não fiquem marcadas pela violência. 

3h21 - Joe Biden tem uma vantagem de 10 pontos em Maricopa County, segundo a projeção do Times, com a maioria dos votos contabilizados. Maricopa County representa cerca de 60% dos votos no Arizona. A manter-se esta margem favorável, Biden deverá ganhar neste estado-chave. 

3h15 - A congressista Alexandria Ocasio-Cortez, uma das estrelas em ascensão no seio do Partido Democrata, conseguiu a reeleição pelo 14º círculo de Nova Iorque, adianta o The New York Times. 

3h09 - As assembleias de voto para as eleições presidenciais nos Estados Unidos fecharam já em 40 dos 50 estados norte-americanos, incluindo oito considerados essenciais: Flórida, Geórgia, Carolina do Norte, Ohio, Pensilvânia, Michigan, Wisconsin e Arizona.

3h06 - O Partido Democrata conquistou esta terça-feira um primeiro lugar no Senado norte-americano aos republicanos, que atualmente detêm a maioria na câmara alta do Congresso, com a vitória do antigo governador do Colorado John Hickenlooper face ao republicano Cory Gardner.

2h54 - De acordo com o The New York Times, a democrata Ilhan Omar conseguiu a reeleição para o Congresso pelo quinto distrito do Minnesota. 

2h48 - Os correios norte-americanos declararam ser impossível cumprir a ordem de um juiz federal de uma inspeção minuciosa em busca de votos perdidos ou retidos para evitarem qualquer perturbação às operações no dia das presidenciais. 

Na resposta ao pedido do juiz federal Emmet G. Sullivan, de Washington, os Serviços Postais dos Estados Unidos indicaram, na terça-feira, ter já realizado durante a manhã várias rondas de fiscalização em todos os centros de processamento.

2h37 - Joe Biden mantém-se com vantagem no número de delegados do colégio eleitoral, com 122 contra 92 de Donald Trump.

2h28 - A corrida para o Congresso dos Estados Unidos pode culminar numa mudança nas duas câmaras. As estimativas iniciais apontam para a vantagem democrata no Senado, cuja maioria é atualmente republicana. No entanto, as projeções para a Câmara dos Representantes indicam que o Partido Democrata pode perder a sua maioria para o Partido Republicano. 

2h24 - Uma candidata pró-Trump, próxima do movimento de teorias da conspiração QAnon, foi eleita esta terça-feira para a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, onde representará um bastião republicano no estado da Geórgia. A eleição de Marjorie Taylor Greene para a câmara baixa do Congresso norte-americano era dada quase como certa, após a sua vitória nas primárias republicanas em agosto

2h21 - O líder da maioria republicana no Senado norte-americano, Mitch McConnell, assegurou esta terça-feira a sua reeleição, derrotando a candidata democrata Amy McGrath.

2h11 - As projeções iniciais dos meios norte-americanos dão a vitória a Trump no estado do Arkansas. Biden à frente em Nova Iorque e Nova Jérsia. As estimativas indicam que Biden está a mostrar-se competitivo em estados que são bastiões republicanos. Nesta altura, até lidera no Ohio e no Texas. 

2h07 - A congressista norte-americana Alexandria Ocasio-Cortez disse acreditar que o candidato democrata à presidência, Joe Biden, tem votos suficientes para se proclamar o novo presidente do país, sucedendo a Donald Trump. "Acho que temos eleitores para garantir a vitória de Joe Biden esta noite", disse na terça-feira a porta-voz da ala mais à esquerda do Partido Democrata.

2h04 - Um cano rebentado num pavilhão que acolhe recolha de votos no condado mais populoso do estado da Geórgia vai atrasar a contagem de votos em pelo menos quatro horas. Os representantes eleitorais indicaram que não há danos nos boletins de voto.

1h54 - Joe Biden está à frente do presidente norte-americano, Donald Trump, por 88 delegados contra 66 no colégio eleitoral, de acordo com as projeções dos meios de comunicação social dos EUA

1h51 - As centenas de manifestantes que apoiam Joe Biden concentrados nas traseiras da Casa Branca acreditam na vitória do candidato democrata

1h13 - Nesta altura, Donald Trump lidera os votos do colégio eleitoral com 24 votos contra 16 do seu rival democrata, Joe Biden

1h05 - As urnas fecharam em 21 dos 50 estados norte-americanos, incluindo Flórida e Pensilvânia. 

1h00 - Mais previsões da CNN. Vitórias para Biden no Massachusetts e em Maryland. Vitória para Trump no estado do Oklahoma. 

00h57 - Mais de 13.000 votos para as eleições norte-americanas desta terça-feira em Dorchester, Carolina do Sul, terão de esperar algum tempo para serem contados, devido a um erro de impressão, indicou hoje o responsável eleitoral deste condado.

00h52 - A projeção inicial da CNN aponta para a vitória de Joe Biden no Ohio. Este é um estado tradicionalmente republicano e que vale 18 votos do colégio eleitoral.

00h45 - O The New York Times dá vitória a Joe Biden no estado da Virgínia. Estão em jogo 13 votos do colégio eleitoral.

00h26 - Centenas de manifestantes anti-Trump e ativistas do movimento Black Lives Mater concentram-se junto às grades das traseiras da Casa Branca, no centro de Washington.

00h20 - As projeções iniciais dão uma vantagem ligeira a Biden na Flórida e uma vantagem confortável na Geórgia. A Flórida é um dos estados que vale mais votos do colégio eleitoral, 29. A Geórgia representa 16 votos. 

00h11 - Projeções iniciais dão a vitória a Trump nos estados do Kentucky e do Indiana e de Biden no estado do Vermont. 

00h08 - Um tribunal federal norte-americano ordenou hoje uma inspeção minuciosa das instalações de processamento dos Serviços Postais em vários estados, em busca de votos perdidos ou retidos. A ordem inclui centros de processamento dos correios em 15 estados, incluindo Flórida, Michigan, Pensilvânia, Geórgia, Wisconsin e Carolina do Sul, entre outros estados considerados chave para as eleições de hoje nos EUA.

23h58 - Garantir uma maioria no Senado nas eleições de hoje nos Estados Unidos será crucial para qualquer candidato que chegue à Casa Branca. Os senadores confirmam os nomeados da administração, incluindo o gabinete (executivo), e podem impulsionar ou empatar a agenda do presidente norte-americano.

Com os republicanos a controlarem agora esta câmara (53-47) do Congresso norte-americano, três ou quatro lugares irão determinar que partido ganhará o domínio, dependendo de quem vencer a presidência nas eleições de hoje, porque o vice-presidente pode quebrar um empate.

23h52 - Muitas sondagens referem que a corrida no estado do Ohio vai ser muito disputada entre Trump e Biden. Este é um dos estados que se pode revelar decisivo. 

23h32 - O FBI está a investigar milhões de chamadas automáticas anónimas com apelos aos eleitores para ficarem em casa, desencorajando assim o voto. As chamadas começaram a ser feitas no verão e aumentaram drasticamente nas últimas semanas (só no mês de outubro registaram-se 10 milhões de chamadas).

23h16 - As primeiras urnas começam a encerrar em partes dos estados do Indiana e do Kentucky, de acordo com o The New York Times. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório