Meteorologia

  • 12 JULHO 2020
Tempo
30º
MIN 18º MÁX 31º

Edição

China vai punir quem desrespeitar quarentena ao chegar ao país

O Supremo Tribunal Popular chinês anunciou hoje que os viajantes que entrarem no país e não cumprirem os procedimentos de quarentena, no âmbito das medidas de prevenção da covid-19, vão ser julgados criminalmente.

China vai punir quem desrespeitar quarentena ao chegar ao país
Notícias ao Minuto

08:57 - 24/03/20 por Lusa

Mundo Covid-19

A instância judicial máxima da China esclareceu, em comunicado, que a nacionalidade não terá influência sobre as decisões legais para punir o desrespeito pela quarentena imposta pelo Governo e que deve ser respeitada por chineses e estrangeiros.

O anúncio ocorre numa altura em que a China concentra os esforços em travar a importação de casos da covid-19.

Ao longo de mais de uma semana, a maioria dos casos detetados pelas autoridades chinesas foram importados, ou seja, pessoas chegadas do exterior, enquanto a transmissão comunitária quase desapareceu.

Quando a doença começou a atingir o resto do mundo, muitos chineses regressaram ao país. De acordo com dados oficiais, a China registou, no total, 400 casos de infeção oriundos do exterior.

Para impedir uma segunda vaga de contágios no país, o Governo chinês impôs uma quarentena rigorosa de 14 dias a quem entrar no país, em hotéis designados pelas autoridades.

O aumento de novos casos da covid-19 importados levou, no domingo, a China a desviar os voos com destino a Pequim para 12 cidades, onde os passageiros são agora submetidos a um controlo sanitário antes de prosseguirem viagem para a capital chinesa.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 345 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 15.100 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, com a Itália a ser o país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 6.077 mortos em 63.927 casos. Segundo as autoridades italianas, 7.024 dos infetados já estão curados.

A China, sem contar com os territórios de Hong Kong e Macau, onde a epidemia surgiu no final de dezembro, conta com mais de 81.000 casos, tendo sido registados 3.277 mortos.

Nas últimas 24 horas a China reportou 78 novos casos, sendo quatro de contágio local e os restantes importados.

Os países mais afetados a seguir à Itália e à China são a Espanha, com 2.182 mortos em 33.089 infeções, o Irão, com 1.812 mortes num total de 23.049 casos, a França, com 860 mortes (19.856 casos), e os Estados Unidos, com 390 mortes (31.057 casos).

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório