Meteorologia

  • 09 ABRIL 2020
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 19º

Edição

Mulher toma dose de LSD 550 vezes superior à normal e... sobrevive

Uma overdose pode ser fatal, mas para esta mulher acabou por lhe mudar a vida.

Mulher toma dose de LSD 550 vezes superior à normal e... sobrevive

Uma mulher tomou acidentalmente uma dose de LSD muito superior à normal e a experiência acabou por lhe mudar a vida. A mulher de 49 anos tomou uma dose 550 vezes superior à normal e não só sobreviveu como a dor crónica que tinha no pé, desde os 20 anos, foi dramaticamente reduzida.

A mulher, identificada apenas como CB, contraiu a doença de Lyme aos 20 anos, o que lhe deixou lesões nos tornozelos e pés e provocou "dores intensas".

Em setembro de 2015, tomou 55 miligramas do que pensava tratar-se de cocaína, mas que era na verdade "LSD em forma de pó". A mulher acabou por desmaiar e vomitar frequentemente durante horas, mas sentia-se com uma "moca agradável" nas 12 horas a seguir a isso.

A sua dor no pé desapareceu e parou de usar morfina nos cinco dias seguintes. A dor acabou por regressar mas foi capaz de a controlar com uma dose pequena de morfina e uma microdose de LSD a cada três dias. Depois de mais de dois anos, em janeiro de 2018, parou o uso das duas drogas e a dor tinha tido uma melhoria significativa.

A experiência foi detalhada num relatório publicado na Journal of Studies on Alcohol and Drugs o mês passado, onde juntaram outros dois casos de estranho 'sucesso'. Um falava de uma jovem de 15 anos com transtorno bipolar que teve uma overdose após tomar uma dose de LSD 10 vezes superior à normal, mas acabou por registar uma melhoria significativa na sua saúde mental. O outro referia-se a uma mulher que tinha tido uma overdose durante a segunda semana de gravidez, acabou por dar à luz um menino saudável e este agora com 18 anos continuava sem ter problemas de desenvolvimento.

Apesar de as experiências destas mulheres serem fora do normal, as suas histórias podem ajudar a justificar a necessidade de uma pesquisa mais aprofundada de substâncias psicadélicas para tratar condições de adição, stress pós-traumático, depressão e ansiedade, referem os especialistas, citados pela CNN.

No entanto, os investigadores alertam que estes casos são únicos e que alertaram para que se evitem experimentações com a droga.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório