Meteorologia

  • 20 OUTUBRO 2020
Tempo
17º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

Armin Laschet e Friedrich Merz candidatos à liderança da CDU de Merkel

O chefe do governo regional da Renânia do Norte-Vestefália, Armin Laschet, e o ex-líder parlamentar dos conservadores Friedrich Merz anunciaram hoje que são candidatos à liderança da União Democrata-Cristã (CDU), o partido da chanceler Angela Merkel.

Armin Laschet e Friedrich Merz candidatos à liderança da CDU de Merkel
Notícias ao Minuto

16:27 - 25/02/20 por Lusa

Mundo Alemanha

Os dois, figuras destacadas do partido, juntam-se a Norbert Röttgen, 54 anos, ex-ministro do Ambiente e presidente da comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros da câmara baixa do parlamento (Bundestag), o primeiro a anunciar a candidatura, há uma semana.

Jens Spahn, o ministro da Saúde, que era apontado como potencial candidato, anunciou hoje que apoia a candidatura de Laschet.

O partido anunciou na segunda-feira a convocação de um congresso extraordinário para 25 de abril, em Berlim, para escolher o sucessor de Annegret Kramp-Karrenbauer, como líder e como candidata a chanceler nas eleições federais previstas para outubro de 2021, que se demitiu a 10 de fevereiro.

A CDU atravessa uma crise política devido a uma série de derrotas eleitorais e persistentes críticas dentro do partido, dividido entre uma ala mais centrista e uma outra mais conservadora.

Armin Laschet, 59 anos, que lidera a CDU no estado mais populoso da Alemanha, é identificado com a ala centrista, seguida por Merkel, e assegurou hoje em conferência de imprensa que quer unir o partido, e o país, "com políticas concretas" para os jovens e os idosos, para as cidades e as zonas rurais, para o presente e o futuro.

Defendeu ainda uma Alemanha que assuma a "sua responsabilidade" na Europa, trabalhando para uma União Europeia "capaz e autónoma".

Friedrich Merz, 64 anos, um antigo rival de Angela Merkel que tem estado afastado da primeira linha da política, é considerado muito conservador e apresentou-se hoje como o candidato da "rutura e da renovação", por oposição a Laschet, que qualificou de "candidato da continuidade".

Criticou a governação do governo de coligação entre a CDU e os sociais-democratas do SPD, "uma carga" para as próximas gerações, e defendeu que a CDU deve continuar a ser "o partido da Europa" na Alemanha.

A corrida à sucessão de Angela Merkel na chefia do governo na Alemanha reabriu com o anúncio, a 10 de fevereiro, da líder da CDU, Annegret Kramp-Karrenbauer, de que se demitia da liderança e que não seria candidata a chanceler nas eleições de 2021.

Eleita para a liderança em dezembro de 2018, AKK, como é conhecida, enfrentou um partido em crise, acentuada por uma série de derrotas em eleições regionais, que culminou com o "caso Turíngia", em que a CDU daquele estado do leste da Alemanha desafiou as suas instruções e rompeu o "cordão sanitário" contra a extrema-direita, aceitando colaborar com a Alternativa para a Alemanha (AfD) para afastar A Esquerda do governo regional.

Angela Merkel, 65 anos, desde 2005 na chefia do governo alemão, anunciou em 2018 que não se recandidata ao cargo em 2021.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório