Meteorologia

  • 19 JANEIRO 2020
Tempo
12º
MIN 8º MÁX 16º

Edição

Ministro venezuelano elogia a China pelo fortalecimento dos laços

O ministro dos Negócios Estrangeiros venezuelano, Jorge Arreaza, elogiou hoje a China pelo fortalecimento dos laços com o seu país, um dos principais aliados de Caracas, num momento de grave crise política e económica no país latino-americano.

Ministro venezuelano elogia a China pelo fortalecimento dos laços

Pequim continua a reconhecer Nicolas Maduro como o único Presidente legítimo da Venezuela, enquanto mais de 50 países - os Estados Unidos na liderança - apoiam o oponente Juan Guaidó, Presidente da Assembleia Nacional e autoproclamado Presidente em janeiro de 2019.

No ano passado, a Venezuela sofreu grandes protestos anti-Maduro, muitas vezes violentos, que mergulharam o país numa grave crise política, económica e humanitária.

"Atacada pelos Estados Unidos, a Venezuela tem sido o epicentro de conflitos na América Latina", observou o ministro dos Negócios Estrangeiros da Venezuela, Jorge Arreaza, na China.

O ministro venezuelano referiu-se ao ativismo de Washington e às sanções norte-americanas contra o petróleo do país, que privam Caracas de uma renda significativa desde a primavera passada.

"Mas nós recebemos solidariedade e aumentamos a cooperação" com Pequim, disse Arreaza quando foi recebido pelo seu homólogo chinês, Wang Yi.

O gigante asiático é o principal credor da Venezuela, ao qual concedeu milhares de milhões de euros em empréstimos.

O petróleo é um pilar da frágil economia venezuelana e representa 96% das receitas do país. Antes do embargo de Washington, 75% da receita de petróleo de Caracas vinha de empresas norte-americanas.

"A China continuará a apoiar vigorosamente a Venezuela na preservação de sua soberania e dignidade nacional, bem como de seus direitos e interesses legítimos", disse Wang Yi, citado pela agência de notícias oficial da China.

A Venezuela possui as maiores reservas de petróleo do mundo, apesar de sua produção ter caído devido à falta de manutenção das instalações petrolíferas.

Pequim, que sempre se opôs às sanções norte-americanas, é hoje um dos principais beneficiários do ouro negro venezuelano, graças a uma política de empréstimos reembolsáveis pelas entregas de petróleo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório