Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2019
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Eleições: Polícia britânica lança regras de segurança para candidatos

A polícia britânica lançou hoje uma campanha de informação com regras de segurança para os candidatos às eleições gerais de 12 de dezembro, numa altura de crescente hostilidade no ambiente político no Reino Unido.

Eleições: Polícia britânica lança regras de segurança para candidatos

Na eleição estão em jogo os 650 lugares da Câmara dos Comuns, mas pelo menos 70 deputados anunciaram que não vão recandidatar-se dado o que consideram ser um ambiente político tóxico, bipolarizado pela questão da saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Políticos de ambos os lados, pró e anti-'Brexit', têm sido insultados e recebido ameaças, algumas de morte, tanto cara a cara como na Internet.

Entre os alvos preferidos estão as mulheres, alvo frequente de insultos e ameaças nas redes sociais, com linguagem misógina, sexista e agressiva.

Os receios em relação à segurança dos candidatos aumentaram também depois do assassínio, à facada, da deputada do Partido Trabalhista Jo Cox, durante a campanha para o referendo sobre o 'Brexit' de junho de 2016.

O Conselho Nacional de Chefes de Polícia aconselhou hoje os candidatos a não fazerem campanha de rua sozinhos e a a avisarem a polícia com antecedência quando se deslocarem a determinados locais que possam ser mais hostis.

Os candidatos são também aconselhados a verificar se a propaganda que colocaram online não contém "informação pessoal sensível".

O presidente do Conselho, Martin Hewitt, disse que a polícia está disponível para se reunir com os candidatos sobre questões de segurança e que todas as questões deste âmbito serão coordenadas por um oficial de polícia.

"Não vamos dizer a ninguém que limite a sua campanha ou entusiasmo de forma alguma, mas estamos a tomar precauções e a aconselhar os candidatos", disse.

O Reino Unido realiza eleições gerais antecipadas a 12 de dezembro, convocadas por iniciativa do primeiro-ministro, Boris Johnson, para garantir uma maioria que lhe permita sair da UE a 31 de janeiro de 2020.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório