Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2020
Tempo
14º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Morreu Yvette Lundy, a heroína francesa que ajudou quem fugia do nazismo

Tinha 103 anos. Fazia parte da resistância francesa e passou documentos falsos a quem estivesse a fugir dos nazis. Sobreviveu aos horrores dos campos de concentração.

Morreu Yvette Lundy, a heroína francesa que ajudou quem fugia do nazismo

Yvette Lundy, uma heroína da resistência francesa que passou documentos falsos a quem fugia dos nazis e que sobreviveu à detenção em campos de concentração, morreu aos 103 anos, adianta o The Guardian.

Lundy vivia numa aldeia perto de Épernay e fazia parte da rede local da resistência francesa, que tinha o nome de código Possum. Lundy trabalhava como professora e também como secretária do presidente da Câmara de Épernay, no período em que a França esteve sob domínio nazi.

A professora passou documentos falsos a judeus, a prisioneiros de guerra em fuga, a combatentes da França Livre que foram enviados para a região e a pessoas que eram enviadas para os campos de trabalhos forçados dos nazis. Muitos esconderam-se na quinta do irmão de Yvette Lundy, Georges.

No entanto, em junho de 1944, Yvette Lundy, então com 28 anos, foi detida pela Gestapo durante uma aula. Foi interrogada e deportada no mês seguinte para um campo de concentração no sudoeste da Aleamanha. Posteriormente, Yvette Lundy foi transferida para o campo de concentração de Ravensbrück. Meses depois foi transferida para o campo de Buchenwald.

“É outro mundo: seres esfomeados com corpos a definhar, olhares vazios, cabeças rapadas, a arrastarem-se em trapos. Em pouco dias, ficamos a parecer-nos com eles”, recordou Yvette sobre a sua passagem pelos campos de concentração nazis.

Três dos seus seis irmãos também foram enviados para campos de concentração. Dois deles, Berthe e Lucien, sobreviveram, mas Georges morreu em Auschwitz-Birkenau em 1945.

Terminada a Segunda Guerra Mundial, Yvette regressou a frança e a partir de 1959 começou a visitar escolas e a partilhar o seu testemunho dos horrores dos campos de concentração nazis.

Em 2017, Lundy foi condecorada com o título de Grande Oficial da Legião de Honra.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório