Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2019
Tempo
16º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Uma pancada na cabeça transformou vendedor em prodígio matemático

Norte-americano só tinha interesse em sair à noite e estar com os amigos. Da noite para o dia, tornou-se num matemático.

Uma pancada na cabeça transformou vendedor em prodígio matemático

Jason Padgett era um vendedor que nem sequer gostava de matemática. Hoje em dia, vê matemática para onde quer que olhe e a culpa foi de uma pancada na cabeça, conforme recorda a BBC.

O norte-americano tinha pouco interesse em número e gostava mais de sair à noite, beber e estar com os amigos. Numa dessas noites de festa, em setembro de 2002, envolveu-se numa escaramuça à porta de um bar e foi agredido com uma forte pancada na cabeça. Diz que viu um clarão de luz e que caiu ao chão.

Levado para o hospital, relembra que lhe deram medicação para as dores e mandaram-no para casa. Pouco depois, porém, reparou que estava a ver as coisas de forma muito diferente. Começou a ver pequenos quadrados, como se fossem pixeis, em linhas e em superfícies. “Tudo o que era curvo parecia levemente pixilizado”, afirmou.

Jason tinha sofrido um traumatismo craniano, o que pode gerar comportamentos compatíveis com o transtorno obsessivo-compulsivo. Os quadrados (e os números) passaram a ser uma obsessão. “Não sei porque é que gosto de quadrados perfeitos. Não é só o quadrado perfeito, é dois elevado a quatro ou quatro ao quadrado, mas gosto de quadrados perfeito... Faço isso automaticamente com tudo”, explicou.

Sabe-se agora que Jason vê números em fractais (formas geométricas em padrão repetitivo em diversos tamanhos) e é a única pessoa do mundo capaz de desenhar essas formas, que são altamente abstratas, à mão.

Notícias ao MinutoExemplo de um desenho em fractais feito pelo norte-americano© Jason Padgett

Berit Brogaard, neurocientista na Universidade de Miami, que hoje em dia é sua mulher, foi a primeira pessoa que percebeu o que tinha acontecido a Jason: o traumatismo craniano criou-lhe novas ligações no cérebro, criando sinestesia, uma condição ao nível do processamento de informação. Ou seja, o estímulo feito a um sentido pode gerar reações noutro.

Um dos casos mais famosos de sinestesia são as pessoas que veem cores quando ouvem música, como a cantora Lorde.

Os cinco tipos de sinestesia mais comuns são: ver cores em letras e números; ver cores nos sons; sentir sabores ao ouvir palavras; visualizar sequências numéricas (como o caso de Jason); ver pessoas distintas em sequências ordenadas.

Jason, que agora é um matemático, escreveu em 2014 a sua história: ‘Struck by Genius: How a Brain Injury Made Me a Mathematical Marvel’, explicando como a sua lesão cerebral o tornou num prodígio matemático da noite para o dia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório