Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 18º

Edição

Tribunal condena única sobrevivente de grupo neonazi a prisão perpétua

O Tribunal de Munique condenou hoje a prisão perpétua Beate Zschäpe, a única sobrevivente de um grupo neonazista pela sua participação numa dezena de assassinatos racistas, num caso incomum que chocou a Alemanha.

Tribunal condena única sobrevivente de grupo neonazi a prisão perpétua
Notícias ao Minuto

09:50 - 11/07/18 por Lusa

Mundo Munique

Após cinco anos de julgamento, o tribunal considerou Zschäpe culpada dos dez ataques perpetrados pelo grupo designado Clandestinidade Nacional-Socialista (NSU) entre 2000 e 2007.

Beate Zschape, 43 anos, está a ser julgada desde maio de 2013 pela sua presumível participação numa série de 10 assassínios, dois atentados com explosivos contra comunidades estrangeiras e 15 assaltos realizados entre 2000 e 2007 pelo NSU.

É a única sobrevivente do trio que formava com Uwe Mundlos, 38 anos, e Uwe Bohnhardt, 34 anos. Em 2011, os dois homens foram encontrados mortos a tiro pela polícia que os ia deter.

Os investigadores pensam que ou se suicidaram os dois ou um deles matou o outro antes de se matar.

O grupo assassinou oito pessoas turcas ou de origem turca, uma grega e uma agente policial.

O caso chocou a Alemanha devido ao facto de o trio ter estado ativo e impune durante anos, indicando falhas nos serviços de informações internas.

Em setembro de 2016, Beate Zschape rompeu o silêncio após mais de três anos de julgamento para assegurar já não ter "simpatia pela ideologia" nacional-socialista.

"Já não julgo as pessoas em função das suas opiniões ou das suas origens, mas em função das suas ações", disse.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório