Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
14º
MIN 9º MÁX 14º

Exército israelita ataca dezenas de alvos militares iranianos na Síria

O exército israelita atacou dezenas de alvos militares iranianos na Síria, na noite de quarta-feira, como retaliação aos projéteis iranianos, lançados contra as forças israelitas nos montes Golã, declarou um porta-voz israelita.

Exército israelita ataca dezenas de alvos militares iranianos na Síria
Notícias ao Minuto

06:38 - 10/05/18 por Lusa

Mundo Porta-voz

O porta-voz do exército israelita, o tenente-coronel Jonathan Conricus, afirmou que esta operação de quarta-feira à noite por parte de Israel visou instalações dos serviços secretos, logística e a zona de lançamento dos projéteis contra Israel, acrescentou a mesma fonte.

"Nós não queremos uma escalada" militar, garantiu Conricus, depois de terminada a operação, uma das mais intensas nos últimos anos e a mais importante contra alvos iranianos, na região síria.

As forças iranianas na Síria dispararam na noite de quarta-feira duas dezenas de projéteis, como foguetes, contra as forças israelitas na parte dos montes Golã ocupada por Israel, declarou o exército israelita.

Os projéteis, alguns dos quais foram intercetados pelo sistema de defesa antimíssil israelita, não causaram vítimas e o exército israelita retaliou, indicou aos jornalistas o porta-voz do exército israelita.

Conricus atribuiu os tiros à brigada Al-Qods, unidade especial dos Guardas da Revolução do Irão, força de elite do regime, adiantando: "O exército israelita vê este ataque iraniano contra Israel com grande severidade".

Um ataque na terça-feira à noite com mísseis, "provavelmente israelitas", perto de Damasco matou 15 combatentes estrangeiros pró-regime, entre os quais oito iranianos, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), sediado em Londres. De acordo com o OSDH, o alvo foi um depósito de armas alegadamente pertencente aos Guardas da Revolução iranianos.

Antes, o exército israelita tinha informado que Israel se encontrava em "alerta máximo" face ao risco de um ataque na zona dos montes Golã, território sírio ocupado e anexado pelo Estado hebreu, "após identificar atividade irregular das forças iranianas na Síria".

Recomendados para si

;
Campo obrigatório