Meteorologia

  • 26 MAIO 2020
Tempo
22º
MIN 18º MÁX 32º

Edição

Crianças com paralisia melhoram após tratamento com células estaminais

A paralisia cerebral é geralmente causada por lesões neurológicas ocorridas durante a gestação ou na altura do nascimento. Atualmente, estima-se que afete cerca de dois em cada mil recém-nascidos em todo o mundo, sendo a principal causa de incapacidade na infância.

Crianças com paralisia melhoram após tratamento com células estaminais
Notícias ao Minuto

07:00 - 27/02/20 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Paralisia Cerebral

O tratamento de paralisia cerebral com células estaminais revela-se promissor, segundo os resultados de um ensaio clínico em que participaram 39 crianças com paralisia cerebral, com idades entre os dois e os 12 anos. As crianças foram divididas em dois grupos: o grupo experimental, que recebeu células estaminais do tecido do cordão umbilical; e o grupo controlo, que recebeu placebo. Adicionalmente, todas as crianças foram incluídas num programa de reabilitação e seguidas durante um ano após o tratamento.

Os investigadores compararam o desempenho das crianças de ambos os grupos utilizando três testes, realizados antes e após o tratamento, que mediram a facilidade na realização das atividades quotidianas, a compreensão, a linguagem e a função motora. Embora o desempenho inicial das 39 crianças tenha sido idêntico nos três testes, após o tratamento observaram-se diferenças entre os dois grupos. Após um ano, as crianças que receberam células estaminais registaram mais melhorias na capacidade motora e na realização de atividades do dia-a-dia, comparativamente às que receberam placebo.

Para os autores do estudo, os resultados indicam que a terapia com células estaminais do cordão umbilical é capaz de promover melhorias, que vão para além das conseguidas unicamente através de reabilitação.

De acordo com Bruna Moreira, Investigadora do Departamento de I&D da Crioestaminal, “Os resultados deste ensaio clínico, juntamente com outros casos publicados, sugerem que a utilização de células estaminais, em conjunto com as abordagens tradicionais, poderá vir a desempenhar um papel preponderante no tratamento desta condição”.

A paralisia cerebral é geralmente causada por lesões neurológicas ocorridas durante a gestação ou na altura do nascimento. Atualmente, estima-se que afete cerca de duas em cada mil recém-nascidos em todo o mundo, sendo a principal causa de incapacidade na infância. As abordagens terapêuticas atuais dirigem-se à melhoria da postura, controlo do movimento e autonomia da criança, não atuando na lesão cerebral subjacente. Torna-se, portanto, urgente encontrar novas estratégias eficazes no tratamento desta condição.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório