Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 15º

Edição

Já sonhou com a própria morte? Especialistas explicam razão

São chamados ‘pesadelos por ansiedade’ e justificados por psicólogos.

Já sonhou com a própria morte? Especialistas explicam razão
Notícias ao Minuto

13:00 - 03/10/18 por Mariana Botelho 

Lifestyle Sono

Sonhos que se repetem e parecem tão reais que têm a força para tirar o fôlego de quem dorme enquanto cria na sua mente uma história sobre a sua morte. O caso não é assim tão exclusivo, na verdade, são muitos os que sonham que morrem o que tecnicamente não é considerado um pesadelo por não acordarem o indivíduo que desta forma sofre durante o sono.

Mais de 10,000 análises científicas foram feitas sobre sono, sonhos e pesadelos e Antonio Zadra leu-os a todos. Além de psicólogo, o especialista é parte do grande grupo de indivíduos que sonha com a própria morte, um tema que, a par de sonhos que se focam na falta de controlo ou perseguição, completam os tipos de sonho de ansiedade mais frequentes. Em qualquer um dos casos, o maior problema está pois no acumular de ansiedade que daí advém: têm-se sonhos de ansiedade porque estamos ansiosos e ficamos ansiosos porque temos tais sonhos.

O facto de ser um problema bastante comum (estima-se que um terço dos sonhos contem com aspetos relacionados à ansiedade) não impressiona Zadra que sabe que este é um reflexo da ansiedade e depressão que tanto atinge a população nos dias de hoje. Mas porque tal acontece?

A resposta, ainda que não se apresente como algo concreto já que este é um tema algo relativo, parece ser uma, mas surge por duas vias. A primeira é a mais otimista e vê os sonhos de ansiedade como uma forma inconsciente de o ser humano se preparar para certas situações de risco, como se se sonhasse que um leão nos ia atacar: expostos àquela situação na vida real, o indivíduo estaria minimamente preparado para a situação pois embora fosse a primeira vez que a vivia, a situação já havia sido revista na própria mente.

A neurocientista Isabelle Arnulf é um dos especialista que defende esta ideia de que os sonhos de ansiedade são uma forma de preparar os indivíduos. Fá-lo com base numa analise a um grupo de estudantes de medicina que foram inquiridos antes de um exame que é de extrema importância para os alunos e de grande dificuldade (apenas 10% conclui o exame com sucesso). O grupo de Arnulf que estudou este caso prático recebeu as mais variadas respostas sobre os seus sonhos (a maioria dos quais, sobre o próprio momento do exame). Destas respostas foi possível confirmar que aqueles que mais sonhos de ansiedade tiveram, melhores resultados obtiveram no exame. Para a autora deste estudo, o sonho ‘preferido’, ou seja, aquele que melhor reflete a conclusão que os neurocientistas queriam provar, foi o de uma aluna que sonhou que estava no exame e não sabia responder a uma questão sobre os componentes presentes no final da coluna. Ora, a aluna acordou a meio da noite e foi confirmar tais respostas, concluindo que, de facto, não as sabia. Com isto se prova que o cérebro atua durante o sono para se preparar teoricamente para casos que irão acontecer.

A par disto, e resumindo a visão dos especialistas que veem os sonhos de ansiedade desta forma otimista, “sonhamos constantemente com a mesma situação simplesmente por ser algo que nos está na mente durante o dia e por isso mantém-se lá durante o sono… não quer significar algo para nós. Apenas acontece por que o cérebro nunca se desliga completamente”, explica Arnulf.

Já Zadra tem uma opinião diferente, em específico acerca de cenários de morte. O especialista vê os sonhos como resultado de conexões que o próprio cérebro faz relativamente a situações passadas e situações futuras que se preveem. Esta conexão, que fica alojada no cérebro, é mais importante do que o sonho em si que, se fosse mesmo importante, o ser humano lembrar-se-ia de muitos mais sonhos, o que não acontece.

No fundo, a morte não é necessariamente o cerne da questão que ocupa o cérebro, mas apenas uma forma de o cérebro ‘desenhar’ o nível máximo de ansiedade que se deve a qualquer episódio particular que, de certa forma, se evidência naquilo em que resulta o sonho de ansiedade. O melhor a fazer, em casos em que tais sonhos tendem a repetir-se e a deixá-lo mais ansioso, será falar com um psicólogo sobre o mesmo. Assim vai chegar à questão que o anseia, sem ser de forma camuflada, e consequentemente resolve-la.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório