Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2018
Tempo
21º
MIN 20º MÁX 21º

Edição

Antes de China divulgar crescimento económico as previsões são positivas

A China divulga na terça-feira o ritmo de crescimento da sua economia durante o primeiro trimestre do ano, que analistas preveem irá fixar-se em 6,8%, superando a meta estabelecida pelo Governo.

Antes de China divulgar crescimento económico as previsões são positivas
Notícias ao Minuto

10:08 - 16/04/18 por Lusa

Economia Governo

Caso se cumpra aquela previsão, a China mantém o ritmo de crescimento registado no segundo semestre de 2017, ilustrando a capacidade do país em manter uma das mais altas taxas de crescimento económico do mundo.

Aquele valor fica, no entanto, uma décima abaixo do ritmo de 6,9%, alcançado no conjunto de 2017.

Pequim estabeleceu como meta para este ano um crescimento de "6,5% ou acima".

O Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) chinês anunciará os dados numa conferência de imprensa, na sede do Conselho de Estado, em Pequim, e dará a conhecer outros indicadores económicos, incluindo a produção industrial, emprego, investimento ou retalho.

Segundo analistas, o crescimento chinês no primeiro trimestre do ano foi sobretudo impulsionado pela forte procura mundial por produtos do país, e não reflete ainda as crescentes disputas comerciais com os Estados Unidos.

Washington impôs este mês um aumento das taxas alfandegárias sobre as importações de aço e alumínio da China.

Aquelas medidas poderão ter um impacto de 0,1% no Produto Interno Bruto (PIB) chinês, segundo os analistas.

No entanto, caso se confirme a decisão do Presidente norte-americano, Donald Trump, de subir as taxas alfandegárias sobre uma lista de produtos que, no ano passado, representaram 50.000 milhões de dólares nas exportações chinesas, o impacto será maior.

"Caso os EUA aprovem a proposta de Trump (...), a China deverá retaliar e é provável que responda com um aumento dos impostos. Nesse caso, estimamos que o efeito na economia chinesa subirá, de uma desaceleração de 0,1%, para 0,5% do PIB", alerta a consultora britânica Capital Economics, num relatório.

Entre os argumentos utilizados por Trump para justificar a subida das taxas alfandegárias está o elevado défice de Washington nas trocas comerciais com Pequim, que no primeiro trimestre se fixou nos 98.150 milhões de yuan (12.650 milhões de euros).

A atividade industrial do país subiu, em março, fixando-se nos 51,5 pontos, acima dos 50,3 pontos alcançados no mês anterior, depois de o país ter levantado as restrições impostas ao setor manufatureiro durante o inverno, e que visaram combater a poluição.

O setor dos serviços expandiu-se também, de 54,4 pontos, em fevereiro, para 54,6 pontos, em março.

Outro indicador positivo no primeiro trimestre do ano foi o crescimento homólogo de 0,5% no investimento direto estrangeiro no país, para 227.540 milhões de yuan (29.315 milhões de euros).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório