Meteorologia

  • 01 MARçO 2024
Tempo
10º
MIN 10º MÁX 15º

Banco Mundial baixa previsões de crescimento no Leste da Ásia e Pacífico

O Banco Mundial baixou as previsões de crescimento para os países em desenvolvimento do Leste da Ásia e do Pacífico para 5% este ano e 4,5% em 2024, em parte devido ao impacto do abrandamento da China.

Banco Mundial baixa previsões de crescimento no Leste da Ásia e Pacífico
Notícias ao Minuto

07:29 - 02/10/23 por Lusa

Economia Banco Mundial

O último relatório, divulgado hoje, reflete um abrandamento do crescimento nos países em desenvolvimento do Leste da Ásia e do Pacífico em comparação com a previsão de abril, quando fixou o crescimento do produto interno bruto (PIB) da região em 5,1% em 2023 e 4,8% em 2024.

As economias em desenvolvimento da Ásia Oriental incluem, além da China e da Mongólia, países como a Indonésia, o Camboja, a Malásia, Myanmar (antiga Birmânia), Filipinas, Tailândia, Laos, Vietname, Timor-Leste e Papua-Nova Guiné.

Estão também incluídas as nações insulares do Pacífico (Fiji, Kiribati, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Palau, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu e Vanuatu).

Apesar da revisão em baixa, as estimativas ainda colocam a região com um crescimento mais rápido do que o registado no resto do mundo emergente, sublinha-se no relatório.

"A região (...) continua a ser uma das mais dinâmicas e de crescimento mais rápido do mundo, mesmo que o crescimento esteja a moderar", afirmou a vice-presidente do banco para o Leste da Ásia e Pacífico, a portuguesa Manuela Ferro.

"A médio prazo, o crescimento sustentável exigirá reformas para manter a competitividade industrial, diversificar os parceiros comerciais e desbloquear o potencial do setor dos serviços", acrescentou.

No relatório atribui-se a desaceleração tanto ao contexto global, com uma queda na procura de exportações e políticas geralmente mais restritivas, como ao impacto do abrandamento na China.

Por outro lado afirma-se que, embora a melhoria das condições externas favoreça a região em 2024, as "dificuldades internas persistentes na China" continuarão a ter um impacto negativo.

"O que acontece na China é importante para toda a região", sustenta-se, acrescentando que "uma redução de 1% no crescimento da China está associada a um declínio de 0,3 pontos percentuais no crescimento regional".

O Banco Mundial mantém a mesma previsão de abril para o crescimento da China em 2023 (5,1%), mas baixa-a para 4,4% em 2024, em comparação com os 4,8% estabelecidos em abril.

Leia Também: Banco Mundial prevê que economia timorense cresça este ano apenas 2,4%

Recomendados para si

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório