Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 16º

OMC revê em forte baixa previsão de crescimento do comércio em 2023

A Organização Mundial do Comércio (OMC) reduziu hoje drasticamente a sua previsão de crescimento do comércio mundial em 2023, num contexto de uma economia global sobrecarregada por múltiplos choques, tais como a guerra na Ucrânia e a política monetária restritiva.

OMC revê em forte baixa previsão de crescimento do comércio em 2023
Notícias ao Minuto

12:28 - 05/10/22 por Lusa

Economia OMC

Os economistas da OMC esperam atualmente que os volumes de comércio mundial de mercadorias cresçam 3,5% em 2022 - ligeiramente acima do aumento de 3,0% previsto em abril, mas preveem um aumento de 1,0% para 2023 - uma nítida diminuição em relação à estimativa anterior de 3,4% publicada em abril.

Para o PIB global, a nova previsão da OMC a taxas de câmbio de mercado é de um crescimento de 2,8% em 2022 e 2,3% em 2023 (menos 1,0 ponto percentual que a previsão anterior para este último valor).

Em comparação, a OCDE, que manteve a sua previsão em 3% para 2022, anunciou recentemente que espera um crescimento de 2,2% no próximo ano.

O FMI, por outro lado, espera um crescimento de 3,2% este ano e de 2,9% em 2023.

Se as atuais previsões do FMI se confirmarem, o crescimento do comércio abrandará significativamente em 2023, mas continuará a ser positivo.

A OMC observa, contudo, que existe uma incerteza considerável em relação à previsão devido à alteração da política monetária nas economias avançadas e à natureza imprevisível da guerra na Ucrânia.

Para 2023, se os riscos de queda se concretizarem, o crescimento do comércio poderia cair para -2,8%, mas se houver surpresas positivas, poderia subir para 4,6%.

A OMC diz que o comércio e a produção "serão sobrecarregados por vários choques inter-relacionados" no próximo ano, incluindo a guerra na Ucrânia, os preços da energia, a inflação e o aperto da política monetária.

Espera-se que a procura de importações enfraqueça à medida que o crescimento abrande devido a uma variedade de factores nas principais economias.

Na Europa, os preços mais elevados da energia resultantes da guerra na Ucrânia conduzirão a uma compressão das despesas domésticas e a custos mais elevados no setor industrial, diz a OMC.

Nos EUA, uma política monetária mais restritiva afetará os gastos sensíveis às taxas de juro em setores como o da habitação, o automóvel e o investimento em capital fixo, por exemplo.

A China continua a enfrentar novos surtos de covid-19 e ruturas de produção associadas a uma fraca procura externa, diz a OMC.

Leia Também: OMC antecipa chegada de uma recessão global numa altura de 'policrise'

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório