Meteorologia

  • 12 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 31º

Proposta criação de empresa pública para criar bilhete único em Coimbra

Grupo de trabalho defende a constituição de uma entidade pública de natureza empresarial para criar um bilhete único em Coimbra, no âmbito da implementação do Sistema de Mobilidade do Mondego, foi hoje anunciado.

Proposta criação de empresa pública para criar bilhete único em Coimbra
Notícias ao Minuto

20:39 - 27/06/22 por Lusa

Economia Coimbra

O grupo de trabalho foi constituído pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIMRC), Câmara Municipal, CP e Metro Mondego, cujo relatório final, entregue recentemente ao Governo foi hoje discutido em reunião do executivo do município.

O documento, que a agência Lusa consultou, defende que a estrutura societária dessa futura entidade deverá ser constituída pelas várias autoridades de transportes na região de Coimbra (Estado, CIMRC e Câmara Municipal), tendo sido consensual a não participação do Estado nos órgãos sociais da futura AGIT - Agência para a Gestão Intermodal no Território da Região de Coimbra.

"Falamos de um território vasto, em Coimbra, em que operam desde privados a públicos. Temos os SMTUC [Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra], a CP, transportes alternativos geridos pela Metro Mondego e a Transdev [operador privado], que responde a muitos dos serviços que são responsabilidade da CIM", explicou a vereadora com o pelouro dos transportes, Ana Bastos, realçando que essa futura entidade estaria acima de todas as outras autoridades de transporte municipal.

Admitindo que o processo ainda está numa fase muito incipiente, a também presidente dos SMTUC salientou que essa nova entidade não irá criar novos transportes, mas sim assumir como o seu grande objetivo "e gerir os preços dos bilhetes e avançar para um bilhete único, que seja intermodal".

"Queremos que se possa sair de um determinado operador, andar nos SMTUC, apanhar o comboio e não ter que se pagar mais por isso. A entidade terá funções de gerir a intermodalidade e a articulação dos vários transportes oferecidos no concelho, com um sistema de bilhética justo, competitivo e que agregue as várias autoridades", realçou a vereadora eleita pela coligação Juntos Somos Coimbra.

Para Ana Bastos, este será "um primeiro passo" para tornar a região de Coimbra numa área metropolitana, uma medida que "se impõe para o desenvolvimento económico da região Centro".

Questionada pela agência Lusa no final da reunião, a vereadora referiu que ainda não está definido um calendário para a criação da empresa.

A vereadora do PS Regina Bento sublinhou a importância da população poder usar "um único passe ou bilhete" para andar de transportes públicos em Coimbra, independentemente do operador, mas deixou "algumas reservas" por o Estado ficar de fora da futura entidade.

"O Estado é a autoridade de transporte que tutela dois dos operadores, a Metro Mondego e a CP", notou, frisando ainda a necessidade de serem asseguradas formas de financiamento por parte do Estado central.

Leia Também: IP3 reaberto ao trânsito na zona de Santa Comba Dão

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório