Meteorologia

  • 16 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 18º MÁX 26º

Incumprimento das empresas é risco para estabilidade financeira

O Banco de Portugal (BdP) destacou hoje o aumento da probabilidade de incumprimento das empresas, devido ao enquadramento macroeconómico com pressões inflacionistas, como um dos principais riscos para a estabilidade financeira.

Incumprimento das empresas é risco para estabilidade financeira
Notícias ao Minuto

10:38 - 24/06/22 por Lusa

Economia BdP

De acordo com o Relatório de Estabilidade Financeira, divulgado pelo regulador da banca, um dos principais riscos para a estabilidade financeira prende-se com o "aumento da probabilidade de incumprimento das empresas, refletindo o efeito conjunto da vulnerabilidade financeira de algumas empresas, da recuperação incompleta da atividade e da rendibilidade de alguns setores no pós-pandemia, bem como o enquadramento macroeconómico e financeiro atual".

A instituição liderada por Mário Centeno apontou ainda "uma redução dos preços no mercado imobiliário residencial, decorrente de alterações nas condições de financiamento", bem como o risco de o "rácio de dívida das administrações públicas em percentagem do PIB [Produto Interno Bruto] não prosseguir a trajetória de redução prevista, derivado da incerteza sobre a atividade económica e do aumento dos custos de financiamento".

Relativamente ao aumento das taxas de juro, nos próximos anos, tal deverá traduzir-se numa "melhoria da margem financeira dos bancos e num aumento do reconhecimento de imparidades e de perdas potenciais decorrentes da desvalorização dos títulos de dívida a justo valor".

O BdP apontou ainda o risco de degradação das condições económicas das famílias, com "redução do rendimento disponível real devido à inflação e o efeito do aumento das taxas de juro sobre o serviço de dívida, aos quais acresce a incerteza relativa à evolução da atividade económica e do emprego".

Em conferência de imprensa, o governador do BdP, Mário Centeno, apontou que este relatório tem a particularidade de identificar riscos "muito evidentes" e que, por isso, "necessitam de uma atuação muito concertada do ponto de vista das políticas, não só nacionais, como a nível europeu.

O documento publicado semestralmente aponta também algumas medidas que podem mitigar os riscos apontados, como a atuação dos bancos centrais, em particular do Banco Central Europeu (BCE).

O BCE já anunciou uma nova ferramenta "anti-fragmentação", para evitar uma grande diferença das taxas de juro entre países.

Mário Centeno adiantou que, apesar de o desenho da medida ainda não estar fechado, tratar-se-á de um "complemento ao processo de normalização da política monetária" que vai "com certeza mostrar a determinação do Eurossistema na contenção destes riscos de fragmentação".

"Se o mecanismo de transmissão da política monetária não funciona o Eurossistema tem de atuar. Foi o que fez na última década com grande sucesso e é o que continuará a fazer", vincou o governador do BdP.

[Notícia atualizada às 12h49]

Leia Também: Idosa pediu direções a estranha. Era a filha que não via há 24 anos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório