Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2021
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

Wall Street fecha sem direção mas com recorde do S&P500

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje sem direção, mas com um novo recorde do índice alargado S&P500, com as esperanças na existência de um plano de recuperação da economia dos EUA a permitir uma recuperação no final da sessão.

Wall Street fecha sem direção mas com recorde do S&P500
Notícias ao Minuto

22:42 - 02/12/20 por Lusa

Economia Bolsas

Os resultados definitivos do dia indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average ganhou 0,20%, para os 29.883,79 pontos, ao contrário do tecnológico Nasdaq, que recuou 0,05%, para as 12.349,37 unidades.

A valorização do S&P500 em 0,18%, para os 3.669,01 pontos foi o que bastou para fixar um novo máximo, depois de ter feito o mesmo na véspera, tal como, aliás, o Nasdaq.

Na terça-feira, estes dois índices tinham superado os seus recordes, graças ao entusiasmo suscitado entre os investidores pelas notícias positivas sobre as vacinas contra o novo coronavirus.

A recuperar o fôlego hoje, a praça abriu hoje em baixa, com a realização de ganhos e no seguimento de um inquérito da ADP que mostrou uma criação de emprego nos EUA abaixo do esperado, em novembro.

"As ações saíram de um buraco no início da sessão para fecharem, grosso modo, em alta, mas sem grandes mudanças", comentaram os analistas da Schwab.

O Dow Jones e o S&P500 passaram a evoluir em território positivo ao início da tarde, quando os dirigentes democratas do Congresso, Nancy Pelosi e Charles Schumer, afirmaram que apoiavam uma proposta bipartidária de apoio orçamental à economia, no montante de 908 mil milhões de dólares (749 mil milhões de euros).

Os investidores estiveram também a dar atenção ao Livro Bege da Reserva Federal (Fed), último relatório sobre a conjuntura antes de uma reunião do banco central, dentro de duas semanas.

O inquérito mostrou que oito das 12 regiões da Fed conheceram um crescimento fraco ou nulo e mesmo uma redução da atividade económica.

Entre os títulos cotados, a Pfizer valorizou 3,53%, a beneficiar do anúncio pela agência britânica do medicamento da aprovação da vacina que desenvolveu em conjunto com a BioNTech, que progrediu 6,21%, contra o novo coronavirus, uma novidade no mudo ocidental.

Já a Salesforce, especializada em tecnologia de relações com os clientes, perdeu 8,52%, um dia depois de anunciar a aquisição do grupo de mensagens empresariais Slack, que fechou a recuar 2,58%, por 28 mil milhões de dólares.

Ao contrário, a Boeing valorizou 5,09% no seguimento de informações da imprensa que deram conta de uma encomenda de aparelhos 737 Max pela Ryanair. Este avião, que está sem voar, em todo o mundo, depois de dois acidentes mortais, em março de 2019, pode voltar à atividade no final do mês nos EUA.

Também os títulos do setor energético recuperaram (3,15% em média), graças à recuperação do preço do petróleo, com os investidores a interpretarem positivamente os sinais provenientes das negociações em curso sobre as quitas de produção entre os principais países exportadores.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório