Meteorologia

  • 31 MAIO 2020
Tempo
27º
MIN 19º MÁX 29º

Edição

Wall Street fecha em alta perante um possível enfraquecimento da pandemia

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta clara, com os investidores a demonstrarem um entusiasmo prudente perante um possível enfraquecimento da pandemia de coronavírus nos EUA e no mundo.

Wall Street fecha em alta perante um possível enfraquecimento da pandemia
Notícias ao Minuto

23:24 - 08/04/20 por Lusa

Economia Wall Street

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average valorizou 3,44%, para os 23.433,57 pontos.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq ganhou 2,58%, para as 8.090,90 unidades, e o alargado S&P500 progrediu 3,41%, para as 2.749,98.

"Talvez o vírus tenha atingido um pico ou, pelo menos, aproxima-se dele, o que dá esperança aos investidores que, até ao final de maio, a atividade económica pode reanimar verdadeiramente", sublinhou Karl Haeling, de LBBW.

O coronavírus já provocou cerca de 14 mil mortos nos EUA e mais de 86 mil no mundo.

Se o estado de Nova Iorque, epicentro da pandemia nos EUA, registou um novo recorde de mortes em 24 horas, a progressão do vírus estabilizou-se, indicou hoje o governador Andrew Cuomo.

Contudo, permanece "um grande número de incertezas", suscetíveis de fazer alterar o momento na bolsa a todo o instante, preveniu Haeling.

"O mercado a evoluir aos altos e baixos é a nova normalidade, o que vai continuar enquanto a volatilidade não se reduzir muito mais", previu.

O indie VIX, que mede a volatilidade em Wall Street, baixou hoje mais de sete por cento.

Por outro lado, a Reserva Federal publicou na quarta-feira as minutas da reunião do seu comité de política monetária, realizada em 15 de março, onde tinha decidido uma descida da taxa de juro de referência, colocando-a no intervalo entre zero e 0,25%.

Na altura, os membros deste comité (FOMC, na sigla em inglês) tinham considerado que a incerteza associada à pandemia fazia pesar "um grave perigo sobre as perspetivas económicas".

Porém, salientaram que "a situação atual não é diretamente comparável com a crise financeira da década precedente" e consideraram que os efeitos negativos seriam talvez menos prolongados.

Outro fator que permitiu aos índices consolidar hoje os seus ganhos foi o anúncio pelo senador Bernie Sanders do fim da sua campanha para obter a nomeação pelos democratas para as eleições presidenciais norte-americanas.

Esta decisão dá de facto a vitória ao seu rival Joe Biden, que vai assim enfrentar o republicano Donald Trump em novembro.

Sanders tinha feito fortes críticas a Wall Street e prometido uma reforma em profundidade do sistema financeiro, que assustou alguns barões da bolsa nova-iorquina.

O seu abandono "ajudou hoje o mercado, mas não muda fundamentalmente as perspetivas", considerou Haeling.

"A principal questão vai ser ver até que ponto Bernie Sanders vai apoiar Joe Biden", acrescentou.

Wall Street

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório