Meteorologia

  • 29 FEVEREIRO 2020
Tempo
17º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

CAF culpa plataforma por erro que levou à exclusão de concurso da CP

Os espanhóis da CAF - Construcciones Y Auxiliar de Ferrocarriles culparam a plataforma que recebeu as propostas ao concurso para os comboios da CP pela sua exclusão do procedimento, de acordo com o processo de impugnação, consultado pela Lusa.

CAF culpa plataforma por erro que levou à exclusão de concurso da CP
Notícias ao Minuto

09:32 - 28/01/20 por Lusa

Economia CP

Este procedimento, para a aquisição de 22 composições para a CP -- Comboios de Portugal, com um valor superior a 160 milhões de euros, resultou na escolha dos austríacos da Stadler como vencedores, mas a CAF entrou com um processo em tribunal para contestar a sua exclusão e argumentar sobre irregularidades nas duas outras propostas, que incluem ainda a Talgo.

Em causa está uma decisão do júri do concurso, que em 06 de dezembro do ano passado excluiu a CAF por estar em falta um documento relativo à calendarização da faturação, exigido pelo concurso.

A empresa diz ter ficado "perplexa, pois estava plenamente convicta de que a versão final da sua proposta tinha sido instruída com todos os documentos legal e procedimentalmente exigidos".

"Mesmo hoje a CAF continua a não conseguir explicar por que razão é que o documento 'calendarização da faturação' não se encontrava na plataforma eletrónica quando o júri procedeu à abertura e análise das versões finais das propostas - mas estava (e continua a estar) convicta de que o submeteu", de acordo com a fundamentação enviada ao Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa.

O grupo garante que "elaborou a calendarização da faturação antes da submissão da versão final da proposta e o documento foi assinado eletronicamente (com recurso a certificado digital qualificado) antes de ser submetido na plataforma", segundo o processo.

"Por razões que a CAF desconhece, mas talvez devido ao complicado funcionamento do sistema da plataforma (que dificultou, e muito, o processo de 'upload' [colocação], dos documentos de uma forma normal) -- a aqui autora [a CAF] não exclui que possam ter acontecido erros na receção/'upload' de documentos nessa plataforma", admitiu a empresa.

O grupo defendeu ainda que "o quadro jurídico aplicável determina que a versão final da sua proposta deveria ter sido avaliada", não existindo "qualquer obstáculo a que, já depois do relatório preliminar, a entidade adjudicante tivesse admitido a junção ao procedimento do documento de calendarização da faturação", citando mesmo um acórdão do Supremo Tribunal de Justiça sobre um caso que considera semelhante.

O júri do concurso, a quem a CAF apresentou também estes argumentos, defendeu que a empresa não tem razão.

"O relatório técnico da plataforma eletrónica de contratação pública acinGov não indicou qualquer erro a este respeito", destacou, num documento que foi anexado ao processo.

A apresentação deste documento numa data posterior também não convenceu o júri, que considerou que isso ia contra o que estava definido no procedimento para o concurso, "na medida em que a não junção do referido documento implica, inelutavelmente a exclusão final da sua proposta".

No final da sua fundamentação, que apontou ainda vários erros às outras candidaturas, a CAF pede que seja admitida a versão final da sua proposta e excluídas as dos concorrentes e que a CP seja ou condenada a adjudicar o concurso à espanhola ou a reabrir o procedimento de negociação.

O Governo autorizou em outubro do ano passado a CP a gastar 168,2 milhões de euros em 22 novos comboios, segundo uma resolução do Conselho de Ministros publicada em Diário da República.

A empresa recebeu cinco candidaturas, sendo que, além da CAF e da Stadler, também entregaram propostas iniciais Talgo, Alstom e Siemens.

Numa fase posterior, ficaram apenas CAF, Talgo e Stadler em negociações avançadas.

A agência Lusa contactou a CAF e a CP sobre esta questão, mas as empresas não quiseram comentar.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório