Meteorologia

  • 29 MARçO 2020
Tempo
18º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

Bankinter revê em alta crescimento do PIB para 1,8% em 2020

O Bankinter previu hoje um crescimento de 1,8% do PIB em 2020, melhorando a anterior estimativa de 1,6%, mas ainda abaixo da previsão do Governo, segundo o relatório sobre as perspetivas macroeconómicas e de investimento.

Bankinter revê em alta crescimento do PIB para 1,8% em 2020
Notícias ao Minuto

17:46 - 30/12/19 por Lusa

Economia Bancos

Contudo, segundo a equipa de 'research' do Bankinter, há riscos sobre o crescimento da economia.

"Alertamos para a deterioração do padrão deste crescimento, demasiado assente na procura interna e com um risco elevado de agravamento da balança comercial", refere o documento com as perspetivas macroeconómicas e de investimento para 2020 (no mundo, nas principais economias mundiais, em Portugal e Espanha).

Segundo os analistas do Bankinter, Portugal enfrenta riscos externos, que podem penalizar as exportações, mas também internos, nomeadamente baixa produtividade e competitividade.

"Recordamos que o forte crescimento do PIB [Produto Interno Bruto] nos últimos anos não foi gerado por um aumento da produtividade do trabalho, mas sim por um aumento do número de trabalhadores. Contudo, esta época do crescimento 'fácil', por via da criação de emprego, parece estar a chegar ao fim perante a estagnação da taxa de desemprego. É, portanto, fundamental resolver o tema da produtividade, de forma a impulsionar o crescimento potencial do PIB", referem.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2020, o Governo prevê um crescimento de 1,9% do PIB em 2020, acima das previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (1,8%), da Comissão Europeia, do Conselho das Finanças Públicas (1,7%) e do Fundo Monetário Internacional (1,6%).

Já este ano, no terceiro trimestre, o crescimento do PIB foi de 1,9%, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Para os próximos dois anos, a equipa de análise do Bankinter espera que a procura interna continue a ser o pilar do crescimento da economia portuguesa, com tendência favorável do consumo privado.

Contudo, lê-se no documento, "é inevitável que ocorra uma moderação no consumo das famílias", o que é justificado por "o efeito da rápida criação de novos empregos, que foi o grande impulsionador do crescimento do consumo nos últimos anos, começar a deixar de exercer pressão".

Quanto ao emprego, os analistas do Bankinter consideram que já foi alcançado "um nível que se pode considerar de "pleno emprego", devendo a taxa de desemprego rondar os 6,5% em 2020.

Em termos de investimento em Portugal, esperam que grande parte continue a ir para o setor da construção, face à crescente procura por imóveis e significativa escassez de oferta de residências.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório