Três portugueses correm maratona de Macau no domingo

Bruno Paixão, Vera Nunes e Joana Nunes vão correr no domingo a 35.ª edição da maratona de Macau.

© DR
Desporto Maratona

Os portugueses Bruno Paixão, Vera Nunes e Joana Nunes vão correr no domingo a 35.ª edição da maratona de Macau, prova em que estão inscritos 1.400 atletas.

PUB

Completam a delegação portuguesa Miguel Ângelo Ribeiro e Doroteia Peixoto, que vão fazer a meia-maratona.

Bruno Paixão, que chega a Macau com o recorde pessoal de 2:21:38, conseguido este ano em Badajoz, espera no domingo "fazer uma boa marca e entrar nos 20 melhores".

Esta é a segunda vez que vai correr a maratona de Macau, depois de em 2013 ter feito a prova, e considera que "o percurso é razoável", quase sempre plano, e que o problema é a humidade da cidade.

Já Joana e Vera Nunes têm como expetativa conseguir "um bom lugar e um bom resultado para representar Portugal".

O melhor tempo de Vera Nunes são 2:37:11, conseguido este ano em Milão e o de Joana Nunes são 2:50:23, alcançado em 2014, em Portugal.

Para as duas representantes na maratona feminina de Macau a humidade poderá representar "algum desafio" no domingo, assim como a possibilidade de vento e as subidas nas duas pontes incluídas no percurso.

No conjunto da maratona, da meia-maratona e da minimaratona de Macau deste ano estão inscritas dez mil pessoas de 46 países e regiões, anunciou hoje a organização.

De regresso a Macau estão os ucranianos Vitaly Shafar e Olena Shurkhno, que ganharam a maratona masculina e feminina de 2015, respetivamente.

Além dos portugueses, estão também inscritos na meia-maratona atletas de vários países de língua portuguesa: Ruben Sanca (Cabo Verde), Gil Quintas (São Tomé e Príncipe), D'Jamila Tavares (São Tomé e Príncipe), Crisolita Silva (Cabo Verde) e Nelia Martins (Timor Leste).

De novo na cidade para participar na Maratona Internacional de Macau está também a campeã olímpica portuguesa Rosa Mota, convidada pela organização.

Rosa Mota disse aos jornalistas que a maratona de Macau "está a crescer" e elogiou a forma como a cidade sabe receber os atletas.

Sobre a representação nacional, disse que Portugal "está sempre bem representado" e que os atletas estão "contentes" por estarem em Macau: "Isso para mim já é positivo", afirmou.

Rosa Mota, que correu a meia-maratona em Macau em 1988, logo a seguir à conquista da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Seul, além de acompanhar os atletas, como habitualmente, vai também correr a minimaratona no domingo.

 

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS