Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 14º

Culturgest inaugura mostra da artista portuguesa Sónia Almeida

Uma exposição retrospetiva da artista plástica portuguesa Sónia Almeida, conhecida sobretudo internacionalmente, que explora diferentes técnicas e formatos, com um caráter interativo, vai estar patente na Culturgest, em Lisboa, a partir de dia 01 de abril.

Culturgest inaugura mostra da artista portuguesa Sónia Almeida
Notícias ao Minuto

17:44 - 15/03/23 por Lusa

Cultura Culturgest

Intitulada "Ó (Ó Agudo)", a mostra reúne obras dos últimos 15 anos da artista e tem curadoria de Bruno Marchand, programador de artes visuais da Culturgest.

A escolha de Sónia Almeida prende-se com "uma espécie de precedência" de uma exposição apresentada em 2009 no Espaço Chiado 8, onde a Culturgest fazia exposições individuais de artistas portugueses, explicou Bruno Marchand, numa apresentação à imprensa.

Sónia Almeida fez todo o seu percurso profissional fora de Portugal, tendo rumado aos Países Baixos assim que terminou a licenciatura em pintura, mudando-se depois para o Reino Unido e, finalmente, para os Estados Unidos, onde fixou residência em Boston.

"Todo o percurso fora de Portugal foi notório em 2009, pois houve pouco horizonte de receção para o trabalho de Sónia", disse o curador, durante uma visita para jornalistas, acrescentando que o facto de estar "deslocada fisicamente a nível artístico" poderá explicar a pouca visibilidade que tem em Portugal.

"Somos muito pequenos. Conhecemos os artistas a operar no nosso território, mas temos dificuldade de acompanhar os que estão fora", disse.

A artista acrescentou que para isso contribui o facto de quase não estar representada em coleções no país, à exceção de uma obra em Serralves, o que não permite que haja circulação.

No entanto, Sónia Almeida é hoje referenciada internacionalmente como uma das artistas portuguesas de maior relevo no panorama da arte contemporânea, sendo destacada por publicações como a revista The New Yorker ou o departamento de arte da Universidade de Harvard, bem como por outros artistas renomados, de que é exemplo Craig Stockwell.

Apesar de a exposição de 2009 ter tido uma "receção ambígua", a artista "deixou rasto", pois desde então foi aparecendo em exposições coletivas em Portugal e individuais no estrangeiro, sendo esta a primeira mostra individual que faz no seu país de origem desde aquela data, esclareceu Bruno Marchand.

O título escolhido tem a ver com "o estar dentro e fora do contexto", porque o "ó", de Sónia, com acento agudo, não é usado em escrita nas línguas anglo-saxónicas, então o dilema põe-se entre "insistir no nome com acento agudo ou deixar sem acento, que não é", explicou a artista.

"Há uma espécie de debate interno sobre o que se é. Um debate entre o território onde nasceu ou o deixar diluir num contexto em que Sónia existe, mas com amputação gráfica", acrescentou Bruno Marchand.

Esta exposição contempla cerca de 40 obras, entre pinturas, desenhos e obra gráfica, demonstrando referências ao seu universo de trabalho, seja na forma de pautas, nas alusões ao tempo, ao movimento, ao palco ou à coreografia.

Muitos dos corpos, dos gestos e das poses reconhecidas nas suas peças pertencem ao universo da dança ou da performance que a artista portuguesa tem vindo a explorar ao longos do anos.

O universo pictórico da artista apresenta grelhas, formas geométricas, monocromias, velaturas, empasto e várias outras opções artísticas, num registo experimental que testa os limites da convivência cromática, a exploração do encontro entre técnicas distintas e ensaia formatos menos rígidos e estáticos para a pintura, desafiando as fronteiras entre o ilusório e o concreto, a figuração e a abstração.

Ó (ó Agudo) vai estar patente até dia 02 de julho. A inauguração da exposição realiza-se no dia 31 de março, às 22:00.

Leia Também: Dias da Dança faz estreia na abertura em coparesentação com Culturgest

Recomendados para si

;
Campo obrigatório