Meteorologia

  • 28 MAIO 2022
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 26º

Mostra de cinema 'online' dialoga com obra de Carolina Maria de Jesus

O Instituto Moreira Salles (IMS) promove, entre 6 de dezembro e 10 de fevereiro de 2022, uma mostra de cinema 'online', gratuita, que dialoga com a obra da escritora brasileira Carolina Maria de Jesus.

Mostra de cinema 'online' dialoga com obra de Carolina Maria de Jesus
Notícias ao Minuto

11:13 - 04/12/21 por Lusa

Cultura Cinema

A mostra, chamada 'Um Brasil para Carolina', reúne filmes disponíveis no site do IMS (filmescarolina.ims.com.br), numa atividade paralela que dialoga com a exposição 'Carolina Maria de Jesus: um Brasil para os brasileiros', em cartaz no IMS em São Paulo, no Brasil.   

A todo, serão exibidos 13 filmes entre curtas e longas-metragens, em diálogo com a obra da escritora Carolina Maria de Jesus (1914-1977), numa seleção que inclui títulos como 'Alma no olho' (1973), de Zózimo Bulbul, 'Estamira' (2004), de Marcos Prado, e 'Carolina, quarto de despejo, homenagem' (2016), primeira animação dedicada à autora que se tornou conhecida por dar voz ao quotidiano das favelas brasileiras, na década de 1960.

Num comunicado, o curador da mostra, Bruno Galindo, destacou que a programação "busca expandir e refletir, por meio do cinema e das imagens, alguns dos aspetos dentre os mais fundamentais do projeto estético, político, social e racial próprio da escritora". 

Os filmes estão divididos em três eixos temáticos que ficarão em cartaz no site do IMS, em períodos distintos.

Intitulado 'Mundo de Bitita', o primeiro ciclo de filmes estará disponível de 6 de dezembro de 2021 a 6 de janeiro de 2022, e tem como inspiração o livro 'Diário de Bitita', de Carolina de Jesus, cujo título original era 'Um Brasil para os brasileiros'.

O romance trata das primeiras décadas do período pós-abolição e apresenta a trajetória da protagonista, que nasceu em Sacramento (MG), em 1914, e radicou-se na cidade de São Paulo, na década de 1930.

As transições estruturais do campo para a cidade (ou da fazenda para a favela), assim como a reflexão sobre os anseios da protagonista são eixos deste primeiro núcleo, que inclui as 'curtas' 'Alma no olho' (1973), de Zózimo Bulbul, 'Lacrimosa' (1970), de Aloysio Raulino, e 'Cimento armado' (2020), de Mariana Aquino, além da longa-metragem 'Cidade ameaçada' (1960), de Roberto Farias, destacaram os organizadores.

Já o segundo ciclo de filmes da mostra, nomeado 'Imagens de alvenaria', estará disponível no 'site', de 15 de dezembro de 2021 a 16 de janeiro de 2022, e contará com títulos que dialogam com as obras 'Quarto de despejo' e 'Casa de alvenaria', de Carolina de Jesus,

Segundo os organizadores, os filmes escolhidos neste ciclo "refletem sobre imagens, estereótipos e contraestereótipos acerca das favelas e das mulheres negras em diferentes tempos históricos" do Brasil.

Neste ponto da programação, serão exibidas as curtas-metragens: 'Nós, Carolinas' (2016), do Coletivo Nós, Mulheres da Periferia, 'Favela em diáspora' (2018), de Gabriela Matos, 'Carolina' (2003), de Jeferson De, 'Vidas de Carolina' (2015), de Jéssica Queiroz, e 'Desaparecidos' (2020), de Danddara.

O terceiro e último ciclo da mostra, nomeado 'Pedaços de cinema', ficará em cartaz no 'site' do IMS, de 10 de janeiro a 10 de fevereiro de 2022, e é inspirado nos livros 'Pedaços da fome', 'Antologia pessoal' e 'Provérbios'.

Esta parte da mostra 'online' inclui as curtas-metragens, 'Amutuá -- O pobre e o rico' (2020), de Zek Ramos, 'Catadora de gente' (2018), de Mirela Kruel, além da longa-metragem 'Estamira' (2004), de Marcos Prado, e a animação 'Carolina, quarto de despejo, homenagem' (2016).

O curador Bruno Galindo concluiu explicando que a mostra "busca manipular, com o cuidado e a responsabilidade de quem tateia uma antiga relíquia, as dimensões políticas, formais e raciais das obras da escritora, assim como suas contradições, a partir da seleção de filmes que "almeja equilibrar a obra de Carolina com a esfera pública do Brasil em 2021".

A exposição 'Carolina Maria de Jesus: Um Brasil para os brasileiros', inaugurada em setembro, ficará patente até 22 de março de 2022, no IMS, em São Paulo.

A mostra revela facetas da trajetória de Carolina Maria de Jesus, e resulta de uma investigação de quase dois anos, reunindo fotografias, manuscritos, vídeos e material documental, além de obras de cerca de 60 artistas numa relação direta com a escritora.

A escritora brasileira, que deu voz aos oprimidos e aos moradores de favelas, no Brasil, teve o seu livro mais importante 'Quarto de Despejo: Diário de Uma Favelada' editado este ano em Portugal, pela primeira vez, 60 anos depois de sua publicação original no Brasil, porque a obra foi proibida à época, pela ditadura do Estado Novo, de Oliveira Salazar.

'Quarto de Despejo: Diário de Uma Favelada' foi publicado pela chancela VS Editor, de Vasco Santos.

Estão também disponíveis as biografias 'Carolina Maria de Jesus - Nas Margens da Literatura', da professora e investigadora Rita Ciotta Neves, com edição da portuguesa Colibri, e 'Carolina -- Uma Biografia', do professor, investigador e jornalista brasileiro Tom Farias, com edição Malê, do Rio de Janeiro.

O IMS tem direção artística do historiador e curador português João Fernandes.

CYR // MAG

Lusa/Fim

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

Campo obrigatório