Meteorologia

  • 16 DEZEMBRO 2018
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 16º

Edição

Shakespeare de regresso ao Teatro São João com nova estreia de 'Otelo'

Violência doméstica, emancipação da mulher, homicídio seguido de suicídio ou ciúme são alguns dos crimes e pecados abordados em 'Otelo', de Shakespeare, a peça que se estreia no dia 28 de setembro, no Teatro Nacional São João, no Porto.

Shakespeare de regresso ao Teatro São João com nova estreia de 'Otelo'
Notícias ao Minuto

22:15 - 19/09/18 por Lusa

Cultura Teatro

'Otelo, o Mouro de Veneza', uma tragédia escrita pelo dramaturgo William Shakespeare, é a primeira produção própria desta temporada de 2018/2019 do Teatro Nacional São João (TNSJ), e sobe ao palco no próximo dia 28 de setembro, sexta-feira, pelas 21:00, com a encenação do diretor artístico do TNSJ, Nuno Carinhas.

Os temas que esta tragédia shakesperiana vai abordar, como o ciúme, a traição, o homicídio de uma mulher pelo seu marido, que se suicida depois por ter descoberto que matou uma inocente, ou a ameaça de um pai que quer bater na filha, são uma espécie de reflexo do que ainda acontece hoje na sociedade ocidental, admitiu aos jornalistas Nuno Carinhas, em conferência de imprensa.

No "papel do pai que pode parecer mais ou menos inocente numa narrativa normal (...), sentimos aquela ameaça de estalo, aquela ameaça de bofetada, numa forma desagradável e extraordinariamente bem feita pelos atores, e é isso - estamos 20 minutos com uma sociedade de homens a decidirem os destinos do país e também das mulheres, dos filhos" descreve Carinhas, reconhecendo que a decisão da Desdémona, que enfrenta o pai, dizendo que o respeita, mas que precisa de continuar a sua vida, "não é uma circunstância fácil com uma plateia só de homens à volta", e esses factos continuam a ser "um reflexo da nossa sociedade".

Nuno Carinhas considerou que o elenco deste 'Otelo' é "muito maduro", um facto que traz para a peça "outra densidade" dos conflitos, e é tudo "mais denso", "mais pensado", não havendo "inocências", tirando a inocência de Desdémona, interpretado por Maria João Pinho, e que faz de filha do senador que decide desposar um homem de outra raça e estatuto (Otelo), uma "criatura aberta" e capaz de enfrentar o pai.

A água, a "água negra", é um elemento fundamental na cenografia da peça, que fica patente no TNSJ até dia 13 de outubro, porque "espelha tudo o que está em cima do palco", desde as personagens aos objetos, conta ainda o encenador Nuno Carinhas, desvendando que no final da peça haverá espelhos côncavos que vão reduzir o espaço da ação em palco, como se fosse o quarto de Otelo e Desdémona, onde vão aparecer nos espelhos como "criaturas monstruosas" e "deformadas".

A luz ténue é outro ponto essencial, até porque a ação decorre quase sempre à noite, explica Carinhas, recordando que muitas das cenas, principalmente as de grande intriga, se desenrolam nas ruas à noite.

Além Maria João Pinho, o elenco é composto por António Durães, Diana Sá, Dinarte Branco, Joana Carvalho, João Cardoso, Jorge Mota, Paulo Freixinho, Pedro Almendra e Pedro Frias.

'Otelo', com tradução e versão cénica de Daniel Jonas, abre a temporada do Teatro Nacional São João e marca o regresso de Nuno Carinhas a Shakespeare, um ano depois da montagem de "Macbeth".

O espetáculo, para maiores de 12 anos, é legendado em inglês, e pode ser visto de quarta-feira a sábado, às 19:00, e quinta e sexta-feira, pelas 21:00. Aos domingos o horário é as 16:00.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório