Meteorologia

  • 23 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 13º MÁX 24º

A bizarra história da série da Netflix que (provavelmente) nunca verá

O responsável por ‘Conquest’ usou o investimento da Netflix para comprar criptomoedas, carros de luxo e roupas de designer.

A bizarra história da série da Netflix que (provavelmente) nunca verá
Notícias ao Minuto

10:25 - 23/11/23 por Miguel Dias

Tech Netflix

A Netflix encomendou no final de 2018 uma série de ficção científica de nome ‘Conquest’ ao realizador Carl Rinsch (‘47 Ronin’) que, por esta altura, continua por finalizar um único episódio.

Conta o The New York Times que a Netflix terá atribuído a Rinsch um montante de 55 milhões de dólares e, aparentemente, é cada vez mais improvável que a série venha a ver a ‘luz do dia’.

A publicação teve acesso a mensagens de texto e e-mails e também falou com membros do elenco e da equipa de produção, que contaram que Rinsch tem demonstrado um comportamento “errático” ao longo dos últimos anos.

Alegadamente, Rinsch terá gasto 11 milhões de dólares do orçamento atribuído pela Netflix a comprar ações na bolsa e também a adquirir criptomoedas - tendo conseguido amealhar 27 milhões de dólares.

Em vez de continuar a produzir a série, Rinsch decidiu comprar carros de luxo - nomeadamente cinco Rolls-Royce e um Ferrari - assim como móveis e roupa de designers.

‘Conquest’ chegou a ser encarado pela Netflix como tendo potencial para ser a próxima grande ‘franchise’ do serviço de streaming depois de ‘Stranger Things’. Contudo, tendo em conta estes desenvolvimentos, parece cada vez menos provável que ‘Conquest’ seja lançada nos próximos tempos.

Leia Também: Uma das séries mais icónicas da Netflix terá mais uma temporada

Recomendados para si

;

Recebe truques e dicas sobre Internet, iPhone, Android, Instagram e Facebook!

O mundo tecnológico em noticias, fotos e vídeos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Tech ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório