Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2021
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

Brilhante Dias esclarece frase polémica. "Lamento se não fui claro"

Secretário de Estado da Internacionalização lamenta a interpretação que foi dada às suas declarações sobre a forma como Portugal enfrentou a pandemia e esclarece que as suas palavras foram proferidas no contexto de uma questão sobre a perspetiva externa sobre o país.

Brilhante Dias esclarece frase polémica. "Lamento se não fui claro"

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, comentou, na noite de quinta-feira, a frase polémica que proferiu em Paris ("Nós ganhámos com a Covid-19") e que motivou duras críticas da Direita à Esquerda.

Em entrevista à TVI, o governante socialista lamentou que as suas declarações tenham causado "um dia agitado", defendendo que "o objetivo não era esse". 

"Até porque, em grande medida - é preciso frisar -, eu não respondi a uma pergunta se Portugal tinha algo a ganhar ou se tinha ganhado alguma coisa com a Covid-19. É evidente que ninguém ganhou nada com a pandemia. A Covid é provavelmente o evento mais duro de saúde pública que nós tivemos durante um século", afirmou.

Esclarecendo que "não desvaloriza a pandemia" porque "todos tivemos momentos muito difíceis", Brilhante Dias explicou que a declaração que proferiu foi apenas "centrada numa questão externa sobre Portugal e a Covid".

"Eu, no meu papel de secretário de Estado da Internacionalização, no conjunto de contactos internacionais que vou tendo, tenho percebido - aliás, foi-me dito - que a forma como o país reagiu e enfrentou a Covid tem, naturalmente, a ver com a capacidade dos profissionais do Serviço Nacional de Saúde, os médicos, os enfermeiros, os profissionais da segurança, os professores", defendeu.

"Lamento se não fui claro. É evidente que lamento a circunstância em que estamos  e que a interpretação que foi dada às minhas palavras na resposta a uma pergunta tenha sido aquela que foi. Lamento profundamente", acrescentou, reforçando que, no quadro do seu trabalho, procurou "valorizar o trabalho de todos".

"As minhas declarações são declarações de valorização da forma como o país enfrentou a Covid-19. A pergunta é sobre a perceção externa, sobre a marca Portugal, sobre como somos vistos lá fora. E a forma como somos vistos no exterior, a forma como o país se mobilizou, é vista positivamente e esse é o impacto positivo", disse. "Jamais me ocorreu, jamais percecionei sequer que as minhas declarações - que tinham exclusivamente esse contexto - podiam ser uma desvalorização daquilo que é uma situação gravíssima".

Os líderes do PSD, Rui Rio, do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, do PCP, Jerónimo de Sousa, e do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, criticaram as declarações feitas aos jornalistas por Eurico Brilhante Dias em Paris, segundo as quais o interesse por Portugal nos mercados internacionais continuou em tempos de Covid-19 e a forma como país lidou com a pandemia favoreceu mesmo a imagem dos produtos nacionais.

Questionado pelos jornalistas sobre o desempenho da marca 'Made in Portugal', o secretário de Estado afirmou: "Vou dizer uma coisa que talvez não seja politicamente correta. Nós ganhámos com a Covid. E ganhámos porquê? Porque Portugal foi um país que tendo as suas dificuldades, enfrentou a Covid-19 com êxito. Faleceram pessoas e muitas pessoas passaram muito mal, mas Portugal mostrou-se um país muito organizado que enfrentou uma realidade muito disruptiva com sucesso".

Numa nota enviada às redações, pretendendo esclarecer as declarações do secretário de Estado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros elucidou que Brilhante Dias lamentou as mortes por Covid-19 e salientou os efeitos "profundamente negativos" da doença na saúde.

Leia Também: "Descuidado" e "noutro planeta". Reações ao dia "não brilhante" de Eurico

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório