Meteorologia

  • 17 ABRIL 2021
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

No centro e esquerda muitos não quiseram correr o risco de uma 2.ª volta

A coordenadora bloquista considerou esta noite que houve no eleitorado de centro e de esquerda muita gente que "não quis correr o risco de uma segunda volta" nas presidenciais, assegurando que a preocupação do BE "é responder à crise".

No centro e esquerda muitos não quiseram correr o risco de uma 2.ª volta

Numa declaração desde o quartel-general, em Coimbra, da noite eleitoral da candidata apoiada pelo BE, Marisa Matias, a líder bloquista, Catarina Martins, foi questionada sobre o que terá estado na origem dos resultados das eleições presidenciais, começando por afirmar que "os analistas terão muito trabalho para fazer".

"O que se consegue perceber pelos primeiros resultados é que na direita há muitos votos que foram para a extrema-direita, uma reconfiguração muito preocupante do nosso ponto de vista, e houve com certeza no eleitorado de centro e também no eleitorado de esquerda muita gente que não quis correr o risco de uma segunda volta", sugeriu.

Depois de Marisa Matias ter respondido aos jornalistas que era o PS que se devia perguntar o porquê dos poucos votos conseguidos pelos candidatos de esquerda, Catarina Martins foi questionada sobre como será o dia seguinte a estas eleições.

"As eleições presidenciais são as eleições presidenciais. As pessoas tiveram, aliás, até pela situação particular em que estamos de uma reeleição, de uma pandemia, de muita gente que temia que houvesse alguma possibilidade de segunda volta com a extrema-direita e não a quis, como sabem até saíram muitas projeções e sondagens que especulavam sobre essa possibilidade que se provou que não existia, aliás", começou por responder.

"A preocupação do BE é responder à crise já. É sempre a nossa preocupação", assegurou.

No dia seguinte, na perspetiva da líder bloquista, o importante é saber "como é que se responde ao país" no meio de uma pandemia, "com os hospitais do SNS numa situação muito difícil, com muita gente que perdeu o emprego e que neste momento está sem nenhum apoio social".

"O BE nunca é chantageado e já toda a gente sabe isso", respondeu, quando questionada sobre se este mau resultado do partido pode servir para o PS fazer chantagem sobre os bloquistas em futuras negociações.

Os três candidatos de esquerda, Ana Gomes, João Ferreira e Marisa Matias, tiveram globalmente no domingo o resultado mais baixo de sempre em presidenciais, indiciando que Marcelo Rebelo de Sousa captou largamente o eleitorado de centro-esquerda.

No ato eleitoral de domingo, a socialista Ana Gomes ficou com cerca de 13%, o dirigente comunista João Ferreira com 4,27% e a eurodeputada do Bloco de Esquerda Marisa Matias com 3,95%. Há cinco anos os candidatos de esquerda obtiveram em conjunto 41,19%, então, já aí, o pior resultado desde as primeiras eleições presidenciais de 1976.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório