Meteorologia

  • 17 DEZEMBRO 2018
Tempo
MIN 6º MÁX 9º

Edição

CDS vai votar contra a "taxa Robles versão Rui Rio"

João Almeida falou, esta quinta-feira, aos jornalistas presentes na Assembleia da República, revelando aquela que é a posição do CDS-PP relativamente às palavras de Rui Rio.

CDS vai votar contra a "taxa Robles versão Rui Rio"
Notícias ao Minuto

12:40 - 13/09/18 por Patrícia Martins Carvalho 

Política João Almeida

A chamada ‘taxa Robles’ tem dado que falar, da Esquerda à Direita, e o PSD não se colocou de fora desta discussão. Depois de na terça-feira Rui Rio ter declarado que "não era uma coisa tão disparatada assim", esta quarta-feira o líder social-democrata sugeriu uma alternativa que passaria por a taxa do IRS sobre mais-valias ser diferenciada em função do número de anos entre a compra e a venda de imóveis.

Face a esta posição de Rui Rio, o deputado centrista João Oliveira garantiu hoje que o CDS “faz questão de se desmarcar da taxa Robles versão Rio”.

“Entendemos que é importante fazer a demarcação desta versão de Rui Rio porque entendemos que, ideologicamente e substancialmente, há razões para o fazer”.

Do ponto de vista ideológico, frisou, há que lembrar que “há três anos que o país é governado pelo Governo de todas as esquerdas que, muitas vezes, tem avançado com medidas que limitam a possibilidade de haver um aumento do bem-estar dos portugueses e da dinâmica da economia”.

Falando sobre as razões substanciais, João Oliveira referiu que taxa Robles, com ou sem versão de Rui Rio, “aumenta a carga fiscal, desrespeita os proprietários – sejam grandes ou pequenos – e contribui para o desaceleramento da nossa economia”.

Face ao exposto, o centrista apresentou aquela que é a proposta do seu partido: “Propomos baixar a carga fiscal, permitir que o arrendamento seja estimulado, benficiando os propriatérios”, afirmou, considerando que “não é crime nenhum conseguir a rentabilidade da propriedade que adquiriram fruto do seu trabalho ou que herdaram”.

E como é isto se consegue? “Baixando os impostos”, sublinhou.

Questionado sobre se estamos perante uma aproximação do CDS ao PS, João Oliveira refere que é exatamente o oposto que está a acontecer. “O CDS já apresentou esta proposta de redução da carga fiscal sobre o arrendamento e foi o Governo que não concordou. Por isso, se alguém está a ir ao encontro de alguém é o Governo ao encontro do CDS”, rematou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório