Meteorologia

  • 22 JUNHO 2018
Tempo
19º
MIN 19º MÁX 20º

Edição

Professor de Amarante acusado de agredir aluno de nove anos

A denúncia parte da mãe do aluno, que terá sido agredido pelo professor na passada sexta-feira (dia 9). O diretor da escola assegura que a situação "está a ser averiguada internamente".

Notícias ao Minuto

08:00 - 13/03/18 por Filipa Matias Pereira

País Denúncia

Um professor do Ensino Básico do Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso está a ser acusado de agressão física e verbal a um aluno do terceiro ano de escolaridade. A denúncia feita ao Notícias ao Minuto pela mãe, Helena Moura, dá conta, aliás, de que esta situação "começou há cerca de um mês".

O filho de Helena Moura, de nove anos, começou por queixar-se das agressões em casa, o que levou a mãe a questionar os colaboradores da escola e outros pais de alunos da mesma turma. E, apesar de os funcionários desconhecerem a situação, "os pais dos outros meninos diziam que os filhos também já se tinham queixado", revela.

A situação perdurou até à passada sexta-feira, altura em que o filho de Helena chegou a casa com "marcas de agressões no pescoço, na barriga e na perna". Perante a severidade do caso, optou por levá-lo ao hospital e o menino acabaria por confessar que o professor, alegadamente, "dá-lhes bofetadas, atira-os da cadeira, aperta-lhes o pescoço e já chegou, inclusive, a empurrar a cabeça deles contra a parede", denuncia. Além das agressões físicas, o docente da Escola EB 2,3 de Telões terá também usado violência verbal.

Face à gravidade das circunstâncias, Helena Moura apresentou queixa no Agrupamento de Escolas de Telões, juntamente com a mãe de outro aluno que afirma igualmente ter sido agredido pelo dito professor.

Contactado pelo Notícias ao Minuto, o diretor do estabelecimento de ensino garantiu que a situação "está a ser averiguada internamente" e que serão tomadas as medidas necessárias.

A mãe do aluno fez também uma participação às autoridades, já que pretende levar o caso "até ao fim". E, de acordo com fonte da GNR de Amarante, que confirma ter recebido a queixa, "o caso será encaminhado para tribunal e para a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), que irá avaliar a situação".

Tratando-se de um menor, assim que o caso chegar à CPCJ, "será pedido aos pais o devido consentimento para que a Comissão possa agir em defesa da criança", explicou Verónica Pinto, presidente da CPCJ de Amarante ao Notícias ao Minuto

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.