Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2019
Tempo
14º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Nunca se nasceu tão pouco mas só 8% não quer (mesmo) ter filhos

O grupo de pessoas que não tem nem tenciona vir a ter filhos é uma minoria, mas nunca se nasceu tão pouco em Portugal.

Nunca se nasceu tão pouco mas só 8% não quer (mesmo) ter filhos

Para assinalar maio - o mês da População, a Fundação Francisco Manuel dos Santos desenvolveu um trabalho alargado sobre natalidade.

Com base no Inquérito à Fecundidade 2013, realizado numa parceria entre o Instituto Nacional de Estatística, a fundação revela que 67% da população em idade fértil tem filhos e 47% daqueles que já têm filhos esperam vir a ter mais.

Entre os portugueses em idade fértil que não têm filhos, apenas 8% não quer vir a ter nenhum. Cerca de 29% não tem filhos, mas quer vir a ter. Entre quem ainda está à espera de constituir família, 25% espera ter um filho, 51% espera ter dois filhos, 16% três ou mais filhos.

No que diz respeito às principais razões para adiar a paternidade, ter menos filhos ou decidir não ter filhos, apontadas pelos inquiridos estão a instabilidade social, o desemprego e a crise económica, mas não só.

O prolongamento dos estudos, a transição para a vida adulta mais tardia, o investimento numa carreira profissional (especialmente entre as mulheres), o receio do futuro que leva a que se assumam menos compromissos, a falta de apoios e subsídios ou o desejo de manter um estilo de vida incompatível com a grande disponibilidade exigida pelos filhos são outras razões apontadas.

Em cerca de cinco décadas, o número de nascimentos em Portugal caiu para menos de metade: Há atualmente menos de 90 mil nascimentos por ano no país.

Cada mulher tem em média 1,23 filhos e espera, em média, pelos 30 anos antes de ter o primeiro.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório