Meteorologia

  • 31 MARçO 2020
Tempo
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Sindicato aponta adesão à greve a rondar os 70%

A greve de hoje na Carris, rodoviária que opera em Lisboa, está a registar uma adesão que ronda os 70 por cento, disse à agência Lusa fonte do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes (SITRA).

Sindicato aponta adesão à greve a rondar os 70%
Notícias ao Minuto

09:26 - 10/04/15 por Lusa

País Carris

"Fizemos a volta pelas estações todas -- Musgueira, Miraflores, Cabo Ruivo e Pontinha -- e neste momento posso dizer que estão muito próximo dos 70% os números da adesão", afirmou o dirigente sindical.

Os trabalhadores contestam a privatização da empresa pública de transporte rodoviário que opera na Grande Lisboa.

"Aberto que está e publicitado o diploma do concurso, os trabalhadores querem manifestar a sua revolta contra esta privatização, que entendem ser desnecessária, até porque irá servir muito pior as populações e os utentes que utilizam a Carris diariamente", declarou Sérgio Monte.

Os trabalhadores estão a cumprir uma greve de 24 horas contra a subconcessão da empresa, atualmente em concurso público.

Na quinta-feira à tarde, a transportadora informou prever alguns reflexos da paralisação na circulação de autocarros, a partir das 22:00, na rede da madrugada.

Na sequência da convocação de serviços mínimos em tribunal arbitral, vão estar em funcionamento, em 50% do regime normal, as carreiras 703 (Charneca do Lumiar -- bairro de Santa Cruz) e 751 (Linda-a-Velha -- estação de Campolide), estando também ativo o serviço de transporte exclusivo de pessoas com mobilidade reduzida.

Os trabalhadores vão realizar um plenário durante a manhã na estação de Santo Amaro, onde se localiza a sede da empresa.

A paralisação foi convocada pelo Sitra, mas teve o acolhimento de outros sindicatos, como confirmou à agência Lusa a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans).

Os trabalhadores da Carris, do Metropolitano de Lisboa, da Transtejo e da Soflusa (responsáveis pelas ligações fluviais no Tejo) anunciaram também a realização, a 22 de abril, em Lisboa, de uma marcha "contra a privatização" daquelas quatro empresas de transportes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório