Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
22º
MIN 19º MÁX 27º

Videovigilância no Porto permitiu preservar imagens sobre 910 processos

A videovigilância instalada há cerca de um ano na baixa do Porto permitiu preservar imagens relacionadas com 910 processos-crime, 592 dos quais este ano, revelou hoje o Comando Metropolitano da PSP, para quem o sistema tem sido "extremamente vantajoso".

Videovigilância no Porto permitiu preservar imagens sobre 910 processos
Notícias ao Minuto

15:15 - 19/06/24 por Lusa

País Videovigilância

A poucos dias de se assinalar um ano da entrada em funcionamento do sistema de videovigilância no Porto, o balanço é "francamente positivo", avançou hoje à Lusa o Comando Metropolitano da PSP do Porto.

A PSP destaca que o sistema se revelou "extremamente vantajoso" no acionamento de meios e gestão de ocorrências policiais, no apoio à tomada de decisão e direcionamento de eventos de massa, mas também na recolha de prova para efeitos ilícitos criminais e subsequente investigação.

O sistema, que entrou em funcionamento em 22 de junho de 2023, já permitiu preservar imagens relativas a 910 processos-crime, a maioria das quais (592) ocorridas este ano.

"Podemos afirmar que a maioria das preservações de imagens tem grande qualidade para efeitos probatórios, estando os seus autores e 'modus operandi' identificáveis ou identificados", indica.

Composto por 79 câmaras, o sistema de videovigilância abrange artérias e espaços públicos da baixa da cidade, nomeadamente na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória.

A videovigilância funciona 24 horas e todos os dias da semana, fruto de um protocolo de colaboração estabelecido entre o município do Porto e a PSP.

"Acreditamos que num futuro próximo contribuirá para a melhoria do sentimento de segurança da população e permitirá a redução da criminalidade praticada nos locais abrangidos pela videovigilância", defende a PSP.

Apesar de as imagens recolhidas servirem para efeitos probatórios, a PSP destaca que a "grande mais-valia" do sistema passa pela visualização em tempo real e, consequentemente, o acionamento de meios para o local.

"Como exemplo, referimos uma ocorrência de agressões a dois turistas por parte de um grupo de cerca de uma dezena de indivíduos. Os policias de serviço no Centro de Comando e Controlo de Videovigilância verificaram as agressões a ocorrer e acionaram os meios necessários. As vítimas foram rapidamente assistidas pelos meios de emergência médica e nove dos autores foram intercetados pela PSP", ilustra.

No final de dezembro de 2023, a Câmara do Porto aprovou adjudicar à empresa Soltráfego, por 1,9 milhões de euros, a aquisição e manutenção de mais 117 câmaras de videovigilância.

Estas novas câmaras serão instaladas na zona ocidental e oriental da cidade, nomeadamente em arruamentos na zona da Asprela, Campanhã, Estádio do Dragão, Pasteleira e Diogo Botelho.

Questionada pela Lusa, a Câmara do Porto afirmou hoje que continua a aguardar a pronúncia do Tribunal de Contas para iniciar o contrato, que prevê a instalação do sistema "no prazo máximo de 180 dias".

A localização das câmaras de videovigilância é definida pela PSP mediante a "análise da criminalidade nos locais de implementação".

Leia Também: Pegou em 17 camisolas do Paraná... e escondeu-as nos calções

Recomendados para si

;
Campo obrigatório