Meteorologia

  • 19 JUNHO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 21º

Primeira angioplastia coronária em Portugal foi há 40 anos

Uma equipa liderada pelo cardiologista Ricardo Seabra-Gomes realizou há 40 anos a primeira angioplastia coronária em Portugal, no Hospital Santa Cruz, em Lisboa, onde se fazem atualmente cerca de 900 procedimentos destes todos os anos.

Primeira angioplastia coronária em Portugal foi há 40 anos
Notícias ao Minuto

09:59 - 29/05/24 por Lusa

País Saúde

Foi no dia 31 de maio de 1984 que foi realizada a primeira intervenção de desobstrução das artérias do coração, que 40 anos depois continua a ser o tratamento de primeira linha no enfarte agudo do miocárdio, que afeta 12 mil portugueses por ano.

"À data, o procedimento foi revolucionário para a medicina cardíaca, contribuindo de forma significativa para a sobrevivência e qualidade de vida dos doentes", refere em comunicado a Unidade Local de Saúde de Lisboa Ocidental (ULSLO), que integra o Hospital Santa Cruz.

A intervenção inaugural da cardiologia portuguesa foi realizada apenas sete anos após a primeira angioplastia bem-sucedida a nível mundial, realizada pelo cardiologista alemão Andreas Gruntzig, em 16 de setembro de 1977.

Liderada pelo cardiologista Ricardo Seabra-Gomes, a equipa do Hospital de Santa Cruz teve de superar obstáculos como a falta de investimento público na área da saúde, conseguindo obter o financiamento para adquirir os dispositivos necessários junto da Fundação Calouste Gulbenkian, conta a ULSLO.

"A duração total do exame foi de 3 horas e 15 minutos, com 57 minutos de raio X e seis dias de internamento. Hoje, para este tipo de lesão, a duração média raramente ultrapassa os 50 minutos e 15 minutos de raio X, com menos de 24 horas de internamento", salienta o coordenador da Unidade de Hemodinâmica e Intervenção Cardiovascular (UNICARV) do Hospital de Santa Cruz, Manuel Almeida.

Para o médico, "foi espantoso" o que a equipa conseguiu. "E não foi por sorte, nunca foi. Levaram mais de um ano de preparação e de formação", nota.

"Para um cardiologista de intervenção dos tempos modernos, imaginando todas as complicações possíveis, expectáveis, frequentes e sem os instrumentos para as resolver, é necessário uma certa fibra para se arriscar e uma certa compreensão e tolerância para aqueles que arriscam. Aos que foram pioneiros e que fizeram escola, a nossa eterna gratidão", declara Manuel Almeida.

Participaram na primeira intervenção os cardiologistas Ricardo Seabra Gomes, José Aniceto Silva, Ana Aleixo, Teresa Real, Ana Oliveira, Rogério Alves, Celeste Ribeiro, Vítor Martins, Lopes Amado e Celeste Nery, com o apoio da cirurgia cardíaca, a cargo de João Queiroz e Melo.

Atualmente, a UNICARV do Hospital de Santa Cruz realiza, anualmente, cerca de 900 angioplastias coronárias e 350 tratamentos valvulares para reparação da abertura e encerramento das válvulas cardíacas, sendo um dos centros com maior atividade nesta área na Península Ibérica.

Leia Também: São João implementa telemonitorização de doentes cirúrgicos graves

Recomendados para si

;
Campo obrigatório