Meteorologia

  • 30 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 16º MÁX 30º

'Startup' cria solução que combate desperdício da cadeia agroalimentar

Uma 'startup' incubada no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto desenvolveu uma tecnologia que permite caracterizar a qualidade os cereais e combater o desperdício da cadeia agroalimentar, dotando-a de conhecimento no processo de aquisição de matérias-primas.

'Startup' cria solução que combate desperdício da cadeia agroalimentar
Notícias ao Minuto

09:17 - 19/04/24 por Lusa

País UPTEC

Em comunicado, a UPTEC -- Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto esclarece hoje que a 'startup' Seedsight pretende dar resposta a um desafio dos sistemas alimentares: "a qualidade, disponibilidade e acessibilidade de alimentos" como cereais e sementes.

O sistema desenvolvido permite caracterizar os cereais, através de análises biomoleculares e biofísicas "de baixo custo e em larga escala", usando tecnologia de 'blockchain', 'deep learning', Inteligência Artificial e sensores óticos.

A utilização destas tecnologias permite a "otimização da identificação das melhores espécies, origens e fornecedores de sementes e grãos, aos preços mais competitivos".

Com esta tecnologia, a startup portuguesa pretende dotar a cadeia agroalimentar do conhecimento necessário para "melhorar o processo de decisão na aquisição de matérias-primas de produtos alimentares", bem como combater o desperdício e a fraude alimentares.

"Os custos associados às matérias-primas alimentares, como trigo, milho, arroz, aveia e quinoa, aumentaram entre 18 e 20%. Este aumento deve-se, principalmente, aos desafios em fases iniciais das cadeias de valor, como a ineficiência dos processos de seleção dos grãos, que são demorados e dispendiosos", destaca a UPTEC, notando que a solução desenvolvida pretende aprimorar o processo de produção.

Os modelos da 'startup' preveem uma redução de 8% nos custos relacionados com a triagem do melhor cereal e até 89% no tempo de aquisição dos melhores grãos.

Simultaneamente, preveem um aumento de 20% da produtividade na transformação de cereais em produtos finais.

A equipa da Seedsight, composta por Joana S. Paiva, Gonçalo Ramos e Paulo Santos, está neste momento a realizar estudos pilotos em colaboração com parceiros em África para a deteção de micotoxinas, no âmbito do programa Validate.Global, promovido pelos Impact Hubs Vienna, Kigali e Accra.

A Seedsight, que integra ainda o projeto europeu EPICENTRE, foi recentemente selecionada como uma das 100 'startups' europeias pela Techstars Deep Tech Berlim, onde se encontra em processo de aceleração.

Leia Também: Nove em cada 10 portugueses evitam desperdício alimentar para poupar

Recomendados para si

;
Campo obrigatório