Meteorologia

  • 14 ABRIL 2024
Tempo
27º
MIN 18º MÁX 28º

Cláudia Nayara alvo de queixa-crime junto do MP por promover jogo ilegal

Esta ação judicial junta-se a uma queixa anterior, feita já no final do ano passado, contra o youtuber Numeiro.

Cláudia Nayara alvo de queixa-crime junto do MP por promover jogo ilegal
Notícias ao Minuto

11:32 - 24/02/24 por Notícias ao Minuto

País Ministério Público

A Associação Portuguesa de Apostas e Jogos Online (APAJO) apresentou uma queixa-crime junto do Ministério Público (MP), contra a cantora Cláudia Nayara, por "promover um operador de jogo ilegal em Portugal", chamado 'Vem Apostar'".

Esta queixa "junta-se à ação já apresentada contra o youtuber João Barbosa, conhecido como Numeiro", no final do ano passado, refere a APAJO num comunicado a que o Notícias ao Minuto teve acesso.

Na sequência do combate ao jogo ilegal, a associação denuncia que "o operador não possui licença para operar em Portugal" e "ambos os produtores de conteúdo o promoveram por inúmeras vezes nas suas contas oficiais", por isso, poderão estar "a violar o Regime Jurídico dos Jogos e Apostas Online (RJO), que proíbe a 'exploração ilícita de jogos e apostas online'".

O presidente da APAJO, Ricardo Domingues, destaca, na mesma nota, que a missão da associação é promover "um ambiente responsável de jogo online" e, nesse sentido, "passa, também, por denunciar quem promove o jogo ilícito e sem licença". "Estas pessoas, com centenas de milhares de seguidores, contribuem para legitimar os operadores ilegais, que põem em risco os utilizadores", refere ainda.

Cláudia Nayara, que ficou conhecida por vender roupa através de diretos nas redes sociais, e cujas páginas de Instagram e Facebook contabilizam 157 mil e 184 mil seguidores, respetivamente, "terá partilhado links para o website de apostas ilegais 'Vem Apostar'".

"Estes links permitem ao seu titular ganhar comissões por cada utilizador que se regista num serviço, utilizando essa hiperligação, sendo que neste caso trata-se de um operador à margem da lei em Portugal", remata a associação.

Leia Também: Chefe da polícia da China condenado a prisão após agressão a mulheres

Recomendados para si

;
Campo obrigatório