Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2024
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 14º

Portugal e Espanha tentam recuperar quebra-ossos no Douro Internacional

Portugal e Espanha apresentaram e debateram hoje em Miranda do Douro estratégias comuns para recuperar o quebra-ossos ('Gypaetus barbatus'), uma ave de rapina ameaçada de extinção, e trazê-la de volta ao Douro Internacional e Norte de Portugal.

Portugal e Espanha tentam recuperar quebra-ossos no Douro Internacional
Notícias ao Minuto

16:54 - 11/12/23 por Lusa

País Miranda do Douro

Este trabalho acontece no âmbito do projeto "LIFE Corredores Ibéricos para o Quebra-ossos", para recuperar a antiga área de distribuição desta ave de rapina na Península Ibérica.

"Trata-se de um projeto muito ambicioso e nós estamos muito comprometidos e pretendemos criar as condições necessárias para possamos receber novamente esta espécie. Uma das ações da iniciativa passa pela construção de uma estratégia ibérica para a conservação do quebra-osso", disse à Lusa a diretora regional do Norte do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), Sandra Sarmento.

O ICNF é um dos parceiros deste projeto, conjuntamente com o Ministério espanhol para a Transição Ecológica e Desafio Demográfico (MITECO) e a Fundación Para la Conservación del Quebrantahuesos.

A responsável explicou ainda que há todo um trabalho de capacitação das equipas que vão para o terreno criar as condições para acolher este espécie de abutre, havendo uma investigação dirigida para depois se pensar na reintrodução desta ave de rapina.

"Se tivermos a sorte de os trabalhos de preparação correrem bem e as condições necessárias para acolher o quebra-ossos, será para nós muito importante", vincou a responsável.

Sandra Sarmento acrescentou que acredita que a reintrodução do quebra-ossos no território do Parque Natural do Douro Internacional (PNDI) poderá ser possível.

"Todo este trabalho tem de ser acompanhado por um programa de comunicação, de divulgação, um conjunto de ações de educação e sensibilização ambiental que são fundamentais", indicou.

Este projeto "LIFE" vai durar até 2027, tem um dotação de 2,68 milhões de euros no seu global e os intervenientes esperam que, durante este período haja quebra-ossos a voar pelo Douro Internacional e pelo Norte de Portugal.

Já um representante do MITECO explicou que o desaparecimento desta espécie de ave de rapina se ficou a dever a ação humana e urge introduzi-la nas áreas rochosas peninsulares.

"O quebra-ossos foi exterminado até ao século XX e agora, aos que nos parece, os encaixes rochosos do vale do Douro Internacional poderão ser um lugar muito favorável para a reintrodução desta espécie, mas haverá que fazer todo um trabalho para estar seguro que será possível", explicou o responsável espanhol.

Miguel Aymerich acrescentou ainda que há outros locais em Portugal que se podem estudar para a introdução desta espécie de ave, mas terão de ter uma formação geológica muito rochosa.

O quebra-ossos é uma das espécies que faz parte da galeria dos animais que já desapareceram de Portugal. No Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal está "Regionalmente Extinto".

Desde 2008, e pela primeira vez em 100 anos, aves libertadas no âmbito da reintrodução da espécie na Andaluzia têm sido observadas nos céus portugueses, fazendo curtas incursões no país.

Com este projeto, Portugal e Espanha dão um novo passo para o regresso do quebra-ossos, estando os dois países ibéricos empenhados no proliferação desta espécie com recurso à sua criação em cativeiro, já que se trata de uma ave com uma baixa taxa de nidificação.

Atualmente, apenas restam quebra-ossos em pequenos núcleos na Córsega, Creta e sobretudo em ambas as vertentes dos Pirinéus, garantiram os responsáveis pelo projeto.

Leia Também: Uma em cada três populações de aves ameaçada de extinção

Recomendados para si

;
Campo obrigatório