Meteorologia

  • 27 MAIO 2022
Tempo
21º
MIN 16º MÁX 34º

Lei que proibia armadilhas para aves rejeitada no parlamento

Uma lei que proibia o fabrico, posse e venda de armadilhas para aves silvestres, resultante de projetos de lei do PAN e do PEV, foi hoje rejeitada em votação na generalidade no parlamento.

Lei que proibia armadilhas para aves rejeitada no parlamento
Notícias ao Minuto

19:42 - 20/07/21 por Lusa

País Aves

Votaram contra o PS, PCP, CDS-PP e Chega e absteve-se a IL.

Os deputados votaram um texto de substituição apresentado pela Comissão de Ambiente, Energia e Ordenamento do Território sobre os dois projetos.

Os dois projetos tinham sido debatidos em plenário a 14 de abril passado, em conjunto com outras iniciativas no mesmo sentido, e baixaram à comissão, sem votação, no dia seguinte.

As aves silvestres, não cinegéticas, já estão protegidas por uma diretiva europeia (Diretiva Aves) mas o uso de artefactos para as capturar ou matar não é proibido.

De acordo com a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) a proibição evitava a morte de 40 mil a 180 mil aves por ano.

A associação estima que, apesar de estarem protegidas pela lei nacional e europeia, foram capturadas em Portugal 283 mil aves entre 2011 e 2017, quer para serem vendidas como animais de companhia, em gaiolas, quer para serem comidas como petisco.

Leia Também: "Entrámos num pesadelo". Família encontra 800 pássaros dentro de casa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório