Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 6º MÁX 15º

Edição

Suspeitos da morte de Mota Jr. em silêncio na 1.ª sessão do julgamento

João Luízo, Edi Barreiros e Fábio Martins são suspeitos dos crimes de homicídio qualificado, roubo agravado, sequestro, furto qualificado e profanação de cadáver.

Suspeitos da morte de Mota Jr. em silêncio na 1.ª sessão do julgamento

Os suspeitos da morte do rapper Mota Jr. começaram a ser julgados esta segunda-feira, dia 28 de junho, no Tribunal de Sintra.

De acordo com a SIC Notícias, na primeira sessão do julgamento, os arguidos decidiram manter o silêncio. Contudo, um dos suspeitos, João Luízo, de 27 anos, pediu que fossem ouvidas as declarações prestadas quando foi detido, nas quais afirma que estava com a tia na noite do crime, a 14 de março de 2020.

O suspeito garante que não conhecia o rapper, que nunca esteve no local do crime e afirmou que fugiu para Inglaterra por estar a receber ameaças de morte.

João Luízo, Edi Barreiros e Fábio Martins são suspeitos dos crimes de homicídio qualificado, roubo agravado, sequestro, furto qualificado e profanação de cadáver. O último é também suspeito de detenção de arma e munições proibidas. Já Catarina Sanchez, também arguida, vai responder por roubo.

Segundo a acusação, David Mota foi surpreendido pelos agressores à porta de casa. Sofreu várias agressões violentas e graves lesões traumáticas cranianas que lhe provocaram a morte. Depois de espancado, o jovem terá sido colocado na bagageira de um carro. Horas depois, por volta das 6h do dia 15 de março, os três suspeitos abandonaram o corpo num escampado em Sesimbra.

O cadáver só viria a ser encontrado dois meses depois do crime.

Leia Também: Suspeitos da morte do 'rapper' Mota Jr. começam hoje a ser julgados

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório