Meteorologia

  • 28 OUTUBRO 2021
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 23º

Edição

JSD defende encerramento de escolas acima do 7.º ano e universidades

A Juventude Social Democrata (JSD) defende a "suspensão imediata" das aulas presenciais a partir do 7.º ano, abrangendo o ensino secundário e universitário, e pede um ajustamento ao calendário escolar para atenuar o impacto nas aprendizagens.

JSD defende encerramento de escolas acima do 7.º ano e universidades
Notícias ao Minuto

13:18 - 20/01/21 por Lusa

País Covid-19

"Face ao momento extraordinário que o país vive com a pandemia da covid-19 descontrolada e o aumento preocupante do número de infeções nas faixas etárias mais jovens, a Comissão Política Nacional da Juventude Social Democrata defende a suspensão imediata das atividades letivas presenciais a partir do 7º ano do ensino básico e secundário e do ensino superior, com um ajustamento ao calendário do atual ano letivo para que a aprendizagem tenha os menores impactos negativos possíveis", lê-se num comunicado enviado às redações.

Citado na nota, o presidente da estrutura que representa os jovens sociais democratas argumenta ser "preferível a suspensão organizada e planeada das aulas presenciais e o fecho das escolas, do que uma possível debandada geral e desorganizada dos alunos das escolas".

Alexandre Poço pede ao Governo que ajuste "de imediato" o "calendário letivo para diminuir as perdas na aprendizagem que a suspensão das aulas presencial acarreta, acautelando também os processos de avaliação e as regras de acesso ao ensino superior para o próximo ano letivo".

"Para a JSD, é tempo de o Governo agir rapidamente ao contrário do que tem feito, colocando a saúde pública de alunos, professores e pessoal não docente à frente de uma teimosia que já ninguém entende no país", acrescenta a nota.

Os jovens consideram que a postura adotada "visa apenas esconder a impreparação notória do Governo para responder a agravamento da pandemia e o não cumprimento de promessas por parte do primeiro-ministro António Costa", nomeadamente a "falha brutal na promessa de entrega de computadores e acesso à internet a todos os estudantes, feita a 9 de abril de 2020".

Na terça-feira, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou que o quadro geral de medidas de combate à covid-19, incluindo a abertura das escolas, vai ser ponderado na próxima semana, em nova reunião com especialistas e audiências aos partidos na terça-feira.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.058.226 mortos resultantes de mais de 96,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.246 pessoas dos 566.958 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório