Meteorologia

  • 03 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 12º

Suspeitas de viciação de processos "são as mesmas que existem no Marquês"

"Só as ditaduras escolhem juízes, as democracias não escolhem juízes", afirmou José Sócrates à chega ao tribunal.

Suspeitas de viciação de processos "são as mesmas que existem no Marquês"
Notícias ao Minuto

14:14 - 04/03/20 por Notícias Ao Minuto

País José Sócrates

José Sócrates falou aos jornalistas à entrada para o Tribunal, em Lisboa, e apontou o que considera serem semelhanças entre a suspeição de viciação de processos na Relação e o que se passou na Operação Marquês, onde é arguido. "Tenho visto a indignação de muita gente, mas acontece o seguinte: é que as suspeitas que existem sobre a viciação de processos na Relação são exatamente as mesmas que existem no processo Marquês", começou por afirmar o antigo primeiro-ministro. 

"No dia 9 de setembro de 2014, quando este processo foi entregue ao juiz Carlos Alexandre, ele foi entregue sem distribuição aleatória, sem sorteio. Foi entregue com a chamada atribuição manual, exatamente como tem sido referido com os casos que agora se discutem na Relação" explicitou ainda José Sócrates. 

O ex-governante prosseguiu, afirmando que o Conselho Superior da Magistratura (CSM) decidiu dizer, em função de uma queixa e de uma suspeita apresentada pelo advogado de Armando Vara, que afinal de contas, as suspeitas não se justificavam porque tinha havido, nessa altura, um apagão geral do sistema eletrónico". De acordo com Sócrates "acontece que isso não é verdadeiro porque o Instituto de Gestão Financeira e de Equipamentos do Ministério da Justiça já veio dizer nos autos que isso não se verificou."

Essa explicação do CSM "denota", por isso, "um certo encobrimento do que se passou". "Todos os cidadãos portugueses têm direito ao juiz que lhe calhar. Os juízes são escolhidos previamente pela lei e a lei manda fazer um sorteio, como foi feito aliás a propósito da instrução. Mas na fase de inquérito havia dois juízes", frisou.

"Só as ditaduras escolhem juízes, as democracias não escolhem juízes. Os juízes estão previamente designado pela lei. E quando se viola a lei significa que alguma coisa não correu bem", acrescentando: "O que se passou aqui é muito simples: o juiz foi escolhido, não foi sorteado. E foi escolhido pelo Ministério Público. Foi escolhido o juiz que mais convinha ao Ministério Público", concluiu. 

Recorde-se que o antigo primeiro-ministro José Sócrates vai hoje prestar novas declarações na instrução do processo Operação Marquês, depois de ter sido chamado a depor pelo juiz Ivo Rosa, que tinha programado para hoje o início do debate instrutório.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório