Meteorologia

  • 15 ABRIL 2021
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 21º

Edição

Portugueses vencem prémio internacional 'Comunicar África'

O documentário da RTP, "Jóias do Príncipe", foi o melhor da sua categoria na oitava edição do prémio internacional "Comunicar África" da organização Harambee Internacional, realizado este ano, pela primeira vez, em Portugal.

Portugueses vencem prémio internacional 'Comunicar África'
Notícias ao Minuto

15:57 - 27/11/19 por Lusa

País Comunicar África

A reportagem dos jornalistas da RTP Isabel Silva Costa, Carlos Pinota e João Caldeirinha, "Joias do Príncipe", ganhou o prémio de melhor documentário e vai receber cinco mil euros.

O projeto faz parte da série "Terra Príncipe" que documenta empreendimentos locais, na ilha do Príncipe, maioritariamente feitos por mulheres.

O vencedor na categoria de videoclipe foi o italiano Davide Salvucci com o vídeo "Buta, the jewel of África" ("Buta, a joia de África") no qual é descrito o massacre ocorrido na região do Burundi quando 40 estudantes de diferentes etnias foram massacrados por se terem recusado a matar uns aos outros.

Salvucci vai receber um prémio no valor de 1.500 euros.

Esta edição do prémio bianual contempla duas categorias -- um documentário ou reportagem para jornalistas e videoclipes para estudante até aos 25 anos.

O objetivo da premiação é contribuir para a difusão de "uma informação mais real" sobre o continente africano, afirma a organização não-governamental (ONG) Harambee África Internacional em comunicado de imprensa.

Portugal foi escolhido para acolher a oitava edição do prémio.

"Em suma, o objetivo é promover o conhecimento de um continente que é um tesouro para o mundo", refere a organização não-governamental (ONG) Harambee África Internacional no comunicado.

A cerimónia de entrega dos prémios decorre hoje, na sede da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), em Lisboa, às 18:00.

Para o jornalista, crítico de cinema e presidente do júri nesta edição do prémio, Mário Augusto, o prémio "não se trata de apresentar uma visão ingénua ou simplista de África, mas de mostrar que, a par das guerras e das dificuldades, há também esperanças e o trabalho sério de muitos indivíduos e organizações".

"Harambee" significa 'todos juntos' em suaíli, e resume a missão da organização: "todos juntos para acompanhar um continente que tem muito a ensinar ao mundo".

A Harambee África Internacional surgiu em 2002 e tem como objetivo "financiar projetos no continente africano, feitos por africanos para ajudar pessoas de África" e promover "um olhar positivo sobre África".

A organizaçao já financiou 78 projetos desde 2002, em 21 países africanos, sendo que os projetos abrangem áreas variadas como o desenvolvimento agrícola, a instrução e formação profissional e outros na área da saúde.

De entre os vários projetos que tem em curso, dois se destacam -- um em Angola e outro em Moçambique.

O projeto angolano Kulikuasa, que significa ajuda solidária, tem como objetivo alfabetizar 120 mulheres na província de Lunda do Sul, e posteriormente, pretende fornecer-lhes ferramentas profissionais para que possam contribuir na economia familiar e social.

Os formadores serão locais, o que significa que o projeto contribuirá diretamente para combater o desemprego na província.

O projeto Dignity Moçambique pretende dar a conhecer aos jovens entre os 15 e os 20 anos profissões e o acesso a mercados de comercialização.

O projeto conta com 60 jovens, 29 raparigas e 31 rapazes, e o grupo tem 12 formadores ao seu dispor em ateliês profissionais que os ensinam sobre cozinha, costura, desenho e pintura, carpintaria, informática, marketing e comunicação, e gestão de projetos e empresas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório