Meteorologia

  • 24 ABRIL 2019
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Empresário confessa que fabricou notas de 20 euros por "brincadeira"

Um empresário, de 66 anos, acusado de contrafação de moeda admitiu hoje, no Tribunal de Aveiro, ter fabricado duas notas de 20 euros, mas rejeitou qualquer intenção de utilizar as notas falsas como se fossem verdadeiras.

Empresário confessa que fabricou notas de 20 euros por "brincadeira"
Notícias ao Minuto

11:59 - 19/03/19 por Lusa

País Aveiro

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), o arguido fotocopiou pelo menos duas notas de 20 euros, numa impressora, e tentou passar uma dessas notas falsas quando foi abastecer a viatura de gasolina.

"Tudo isso é verdade, menos a tentativa de passagem de moeda falsa", disse o arguido, na primeira sessão do julgamento.

Perante o coletivo de juízes, o empresário disse que se tratou de uma "simples brincadeira", para alertar os amigos do risco de receberem notas falsas, adiantando ter feito o mesmo em outros três estabelecimentos.

"Não tinha intenções de fazer passagem de moeda falsa", assegurou o arguido, afirmando estar arrependido.

Na mesma sessão foi ouvido um inspetor da Polícia Judiciária que disse que a impressão era "uma má contrafação", adiantando que "uma pessoa atenta verificaria logo que a nota era falsa".

Os factos ocorreram no dia 30 de maio de 2017, quando o arguido se dirigiu ao posto de abastecimento de combustíveis situado em Fermentelos (concelho de Águeda) e abasteceu a viatura, tendo tentado pagar o combustível com uma das notas falsas.

O MP diz que o funcionário suspeitou que a nota seria falsa, razão pela qual a devolveu ao arguido que a guardou consigo e entregou outra nota verdadeira.

Poucas horas depois, uma patrulha da GNR que já tinha sido posta ao corrente do sucedido intercetou a viatura do arguido que tinha na sua posse as duas notas de 20 euros falsas, que foram apreendidas pelos militares.

Nesse mesmo dia foi efetuada uma busca às instalações da firma pertencente ao arguido, tendo sido apreendidos uma impressora, um x-ato, uma régua e várias folhas.

O empresário, que tem uma condenação em pena suspensa por detenção de arma proibida e tráfico de droga, está acusado de um crime de contrafação de moeda e outro de passagem de moeda falsa na forma tentada.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório