Meteorologia

  • 19 NOVEMBRO 2018
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 13º

Edição

Portugal é notícia lá fora e deixa Espanha 'de boca aberta'

O número de mulheres portuguesas que se interessam pelas áreas da ciência e tecnologia levou o jornal El País a dedicar um artigo a este tema.

Portugal é notícia lá fora e deixa Espanha 'de boca aberta'

Um recente estudo da OCDE “rompeu com todos os estereótipos” ao revelar que Portugal é, no mundo inteiro, o país onde há mais mulheres a estudar ciências, tecnologia, engenharias e matemática.

Uma notícia publicada esta semana pelo jornal El País dá conta disso mesmo e a surpresa fica patente na forma como o jornalista vizinho inicia o seu texto: “Já se sabia que o português é quem tem mais cortiça no mundo, quem mais vinho bebe e quem mais bacalhau consome. Mas o que ninguém calculava na terra do fado é que Portugal fosse o país das mulheres científicas ou, pelo menos, o país com mais mulheres a estudarem ciências”.

Os dados da OCDE mostram que 57% das portuguesas estudam ciências, tecnologia, engenharias e matemática. Por outras palavras, Portugal arrecadou “mais 17 pontos do que Silicon Valley dos Estados Unidos, mais 22 pontos do que Espanha ou Dinamarca e mais do dobro do que o Japão”.

Embora sublinhe que “uma coisa são as mulheres licenciadas, outra são as que trabalham na área e outra ainda são os postos de liderança que as mulheres ocupam”, o jornal El País não deixa de destacar que “em Portugal duas mulheres dirigem as maiores fundações científicas”, referindo-se à Fundação Champalimaud, liderada por Leonor Beleza, e o Instituto Gulbenkian da Ciência, a cargo de Mónica Bettencourt.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório