Ibuprofeno ou paracetamol? Saiba quando tomar cada um deles

Muito usados para aliviar dores de cabeça, cólicas ou febre, o paracetamol e o ibuprofeno são dois dos analgésicos mais comuns do mundo. Mas como saber qual dos dois é que deve tomar?

© Pixabay
Mundo Saúde

Depois de um estudo da Universidade de Edimburgo sugerir que o uso prolongado de paracetamol poderia afetar a saúde reprodutiva, no Reino Unido foi recomendado às gravidas que tivessem cuidado ao ingerir paracetamol (princípio ativo do Tylenol).

PUB

Durante a gestação deve-se também evitar o ibuprofeno (princípio ativo do Advil), a não ser que o médico o receite.

Para os demais, a BBC reuniu o que o NHS e o site americano AskDrSears, especializado em orientação pediátrica, dizem sobre os dois analgésicos.

Os analgésicos até podem ser usados em conjunto, desde que seguindo as orientações da bula e do seu médico - e dentro das doses limitadas. Mas, esse uso combinado não é recomendado para crianças menores de 16 anos.

Paracetamol: Segundo o NHS, o paracetamol reduz a dor ao afetar os químicos nas chamadas prostaglandinas, substâncias produzidas pelo corpo para dar resposta a doenças ou lesões. O paracetamol bloqueia a produção de prostaglandinas, fazendo com que o corpo fique menos ciente da dor ou da lesão.

É indicado para aliviar dores moderadas e leves, como dores de cabeça, dentes ou entorses. O analgésico também reduz a temperatura do corpo. Exceto por indicação médica, nunca tome mais do que quatro doses em 24 horas. Se ao fim de três dias as dores persistirem, consulte o médico.

Prós: Costuma ser mais eficaz para aliviar dores de cabeça; É seguro para crianças e adultos se tomado corretamente, e os efeitos colaterais são mínimos; É seguro tomá-la com outros antibióticos ou medicamentos para tratar a gripe; Pode ser dado a bebés com mais de dois meses, para tratar febres ou dores.

Contras: Enquanto o ibuprofeno atua em 30 minutos, o paracetamol não tem efeito antes de 45 a 60 minutos desde a ingestão da primeira dose. E reduz a dor e a febre por quatro horas, em vez de seis; É menos eficaz para reduzir a dor associada à inflamação e à lesão corporal; Ainda que não prejudique o estômago, o seu consumo excessivo pode ser prejudicial para o fígado e os rins (não deve ser tomado por pessoas com problemas hepáticos); Em casos raros pode causar uma reação alérgica (comichão ou inchaço).

Ibuprofeno: Também age nas prostaglandinas e também é usado para combater dores moderadas e leves (de dentes, cabeça, lesões, cólicas, febre e inflamações). Mas, medicamentos anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno, parecem funcionar melhor se a causa da dor for inflamatória, como artrite ou lesão, explica o NHS. Não deve ser usado por período prolongado. O uso prolongado pode causar irritações no estômago, problemas renais e cardíacos. Idosos ou pessoas com problemas de estômago, cardíacos, hepáticos ou renais devem tomar este medicamento com cautela. Este medicamento tem uma ação rápida.

Prós: Atua contra a febre alta, diminui a dor e a inflamação; É mais eficaz contra a dor dos músculos e contra lesões onde haja inflamação; Segundo o AskDrSears.com, também funciona mais rápido e tem um efeito mais duradouro que o paracetamol, atuando em 30 minutos, a sua ação pode durar até seis horas.

Contras: Pode causar dores de estômago e agravar úlceras; Convém ingeri-lo com a comida e, se o uso for prolongado, com protetores de estômago; Pode reduzir a capacidade do corpo de formar coágulos sanguíneos; Em grandes doses e por um período prolongado, pode aumentar os riscos de derrame e problemas cardíacos; Nas mulheres, este uso prolongado pode reduzir a fertilidade.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS

Acompanhe as transmissões ao vivo da Primeira Liga, Liga Europa e Liga dos Campeões!

Obrigado por ter ativado as notificações do Desporto ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias Ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser