Meteorologia

  • 19 JULHO 2024
Tempo
25º
MIN 19º MÁX 31º

EUA autorizam mísseis de longo alcance para lá da frente de Kharkiv

Os militares ucranianos estão autorizados a usar mísseis de longo alcance fornecidos pelos Estados Unidos para atacar alvos dentro da Rússia, além das linhas de frente perto de Kharkiv, desde que em legítima defesa, indicou hoje o Pentágono.

EUA autorizam mísseis de longo alcance para lá da frente de Kharkiv
Notícias ao Minuto

17:59 - 21/06/24 por Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

O Presidente norte-americano, Joe Biden, tem vindo a levantar as restrições sobre a forma como Kiev pode usar as munições fornecidas por Washington para defender a cidade de Kharkiv, no leste da Ucrânia, de uma barragem implacável de mísseis russos.

Desde o início da invasão russa, em fevereiro de 2022, os Estados Unidos da América (EUA) mantiveram uma política de não permitir que a Ucrânia utilizasse as armas norte-americanas fornecidas para atingir alvos dentro da Rússia, receando uma escalada da guerra.

A Rússia tem disparado contra alvos ucranianos dentro da sua fronteira, tratando esta área como uma "zona segura", disse Pat Ryder, secretário de imprensa do Pentágono (Departamento da Defesa norte-americano).

"À medida que vemos essas forças a conduzir esse tipo de operações do outro lado da fronteira, explicámos que a Ucrânia pode e tem o direito de ripostar para se defender", declarou Ryder aos jornalistas.

A Casa Branca (presidência norte-americana) também anunciou na quinta-feira que está a acelerar a entrega de mísseis de defesa aérea à Ucrânia, redirecionando os envios que estavam planeados para outros países aliados.

Os EUA já estavam a enviar para a Ucrânia um fluxo considerável de intercetadores para os seus sistemas de defesa aérea, incluindo as baterias de mísseis Patriot ou NASAMS.

O porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, John Kirby, disse aos jornalistas que o envio é mais urgente, à medida que os militares russos aceleram os ataques com mísseis e 'drones' contra cidades e infraestruturas antes do próximo inverno.

Espera-se que as remessas agora aceleradas incluam centenas de mísseis Patriot.

Leia Também: "Muito necessário". NATO aplaude venda de mísseis Patriot pela Roménia

Recomendados para si

;
Campo obrigatório