Meteorologia

  • 16 JUNHO 2024
Tempo
22º
MIN 15º MÁX 25º

"Não há lugar seguro". Borrell "horrorizado" com "notícias de Rafah"

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE) condenou o ataque, salientando que "as ordens do TIJ e do DIH devem ser respeitadas por todas as partes".

"Não há lugar seguro". Borrell "horrorizado" com "notícias de Rafah"
Notícias ao Minuto

15:42 - 27/05/24 por Notícias ao Minuto

Mundo Israel/Palestina

O Alto Representante da União Europeia (UE) para as Relações Exteriores, Josep Borrell, mostrou-se "horrorizado" esta segunda-feira com o ataque contra um campo de deslocados palestinianos em Rafah, no sul da Faixa de Gaza, que fez pelo menos 50 mortos.

"Horrorizado com as notícias vindas de Rafah sobre os ataques israelitas que mataram dezenas de pessoas deslocadas, incluindo crianças pequenas", refere Borrell numa publicação na rede social X (antigo Twitter), na qual acrescenta: "Condeno este facto com a maior veemência".

De recordar que pelo menos 50 pessoas morreram esta madrugada no bombardeamento a um campo de deslocados no noroeste de Rafah, sul da Faixa de Gaza, num ataque confirmado pelo exército israelita, que tinha como alvo dois altos responsáveis do Hamas.

"Não há lugar seguro em Gaza. Estes ataques devem cessar imediatamente. As ordens do TIJ [Tribunal Internacional de Justiça] e o DIH [Direito Internacional Humanitário] devem ser respeitadas por todas as partes", declarou ainda.

Entretanto, o governo israelita prometeu que investigará um ataque das suas forças militares, garantindo que Israel continua a tentar "limitar as perdas civis" e que o ataque teve como alvo dois membros do Hamas, segundo afirmou Avi Hyman, porta-voz do Governo israelita, durante uma conferência de imprensa.

Israel e o Hamas estão em guerra desde um ataque do grupo palestiniano em solo israelita, em 7 de outubro de 2023, ter causado cerca de 1.200 mortos e duas centenas de reféns, segundo as autoridades de Telavive.

A ofensiva israelita na Faixa de Gaza, lançada após o ataque, provocou mais de 36.000 mortos, segundo o Hamas, grupo classificado como "organização terrorista" por Israel, União Europeia (UE) e Estados Unidos.

Leia Também: Presidente francês "indignado" com ataque israelita a campo em Rafah

Recomendados para si

;
Campo obrigatório