Meteorologia

  • 24 JUNHO 2024
Tempo
22º
MIN 17º MÁX 29º

Juíza admite erro e reabrirá audiência de sentença de atacante de Pelosi

Uma juíza federal norte-americana vai reabrir a audiência de sentença do homem que invadiu a casa da então presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, porque não o deixou falar em tribunal na semana passada.

Juíza admite erro e reabrirá audiência de sentença de atacante de Pelosi
Notícias ao Minuto

00:01 - 21/05/24 por Lusa

Mundo EUA

Na sexta-feira, a juíza Jacqueline Scott Corley condenou David DePape a 20 anos de prisão pela tentativa de sequestro de Nancy Pelosi, ao invadir a sua casa, em São Francisco, a 28 de outubro de 2022, e a 30 anos de prisão pela agressão com um martelo ao marido desta, Paul Pelosi, as penas máximas para ambos os crimes, a cumprir em simultâneo e às quais foram descontados os 18 meses que DePape esteve detido.

Mas num documento judicial apresentado durante o fim de semana, a magistrada afirmou ter sido "um erro claro" da sua parte não ter dado a DePape a oportunidade de emitir uma declaração antes de lhe ser lida a sentença, como estipulado na lei, razão pela qual marcou nova audiência para 28 de maio.

Nem os procuradores nem os advogados de defesa de DePape chamaram a atenção para o lapso de Corley na audiência de sexta-feira.

"No entanto, era da responsabilidade do tribunal perguntar pessoalmente ao senhor DePape se ele queria falar", escreveu a juíza.

Horas depois de Corley ter proferido a sentença, os procuradores apresentaram uma moção em que referiam que o tribunal não tinha dado a DePape a oportunidade de "falar ou apresentar qualquer informação para atenuar a pena", tal como exigido pelas normas federais.

Pediram, por isso, ao tribunal que reabrisse a audiência de sentença para lhe dar essa oportunidade, sublinhando que o tribunal teria 14 dias para corrigir uma sentença resultante de um erro.

A defesa de DePape afirmou, contudo, que se opõe a levar novamente o seu cliente a tribunal, de acordo com a moção do Ministério Público.

Os advogados de defesa do agressor de Paul Pelosi recorreram do veredicto pouco depois da sentença de sexta-feira. A juíza deu-lhes até quarta-feira para responder à sua ordem de reabertura da audiência de sentença.

Em novembro de 2023, um júri considerou DePape, de 44 anos, culpado de tentativa de sequestro de um governante federal e de agressão a um familiar direto de um governante federal. A acusação tinha pedido uma pena de 40 anos de prisão.

O ataque a Paul Pelosi, que na altura tinha 82 anos, foi captado em vídeo por câmaras de vigilância da polícia, poucos dias antes das eleições intercalares de 2022, e causou choque na cena política.

Paul Pelosi sofreu dois ferimentos na cabeça, um dos quais uma fratura de crânio que foi reparada com placas e parafusos que manterá para o resto da vida. O braço e a mão direitos também ficaram feridos.

Antes da sentença, uma das advogadas de DePape, Angela Chuang, disse à juiza que tivesse em consideração as penas de prisão que estão a ser aplicadas aos participantes no ataque ao Capitólio de 06 de janeiro de 2021.

"As cinco sentenças mais graves atribuídas a pessoas condenadas por conspiração sediciosa, por literalmente conspirarem para derrubar o Governo, oscilam entre 15 e 22 anos", argumentou Chuang.

A juíza Corley respondeu que a analogia com os acontecimentos de 06 de janeiro de 2021 não correspondia adequadamente à gravidade de invadir a residência particular de um governante eleito.

O ataque à própria casa pode ter um efeito inibidor nas pessoas que se candidatam a cargos públicos no futuro, sustentou, acrescentando acreditar que DePape continua a representar um perigo para a sociedade.

"Não vi nada que sugira que, se lhe fosse dada a oportunidade, ele não voltaria a agir de acordo com as suas infundadas convicções", afirmou.

DePape admitiu durante o julgamento que invadiu a casa dos Pelosis a 28 de outubro de 2022 com a intenção de manter a presidente da câmara baixa do Congresso dos Estados Unidos refém e de a obrigar a admitir ter cometido corrupção.

"Se ela mentisse, eu partia-lhe as rótulas", declarou, referindo-se à então dirigente do Partido Democrata, Nancy Pelosi, que não estava em casa, na altura.

O atacante também admitiu ter agredido Paul Pelosi com um martelo quando a polícia apareceu, porque o seu plano para acabar com o que ele considerava ser a corrupção governamental estava a falhar.

No julgamento, DePape, um cidadão canadiano que se mudou para os Estados Unidos há mais de 20 anos, afirmou acreditar que a comunicação social mentia repetidamente sobre o ex-presidente Donald Trump.

Em discursos publicados num blogue e num fórum 'online' que foram retirados após a sua detenção, DePape fez eco da teoria da conspiração de direita QAnon, segundo a qual uma cabala de pedófilos adoradores do diabo dirige o Governo dos Estados Unidos

A juíza federal Jacqueline Scott Corley indicou que DePape se encontra detido pelo Serviço de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos e será deportado depois de cumprir a sua sentença.

Leia Também: Homem que atacou marido de Nancy Pelosi condenado a 30 anos de prisão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório